OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 11 de dezembro de 2017

Colunistas

Ivan Nunes Ivan Nunes
É jornalista profissional. Há mais de 20 anos escreve sobre os bastidores da política na Zona da Mata alagoana.
30/11/2017 às 18:04

Comoção, dor e caras tristes marcam sepultamento de estudante que morreu afogado em União dos Palmares

Balões brancos marcaram despedida do amigo João Pedro Balões brancos marcaram despedida do amigo João Pedro

A morte por afogamento do estudante do Colégio Carlos Gomes de Barros, João Pedro, ainda causa muita comoção entre os colegas de turma e amigos do estudante, que era tido como um jovem dedicado, estudioso e solidário. Com 17 anos de idade, ele cumpria uma pauta com mais seis colegas, onde gravava imagens do rio Mundaú, no bairro Taquari, em União dos Palmares, quando seus amigos já tinham concluído o vídeo sobre um curta indicado pelo professor de João Pedro, de nome Tarcísio.

"Eles não comunicaram nada a gente. Foi uma tragédia. Se nós suobessemos que eles viriam pra cá, não teríamos autorizado", lamentou Sílvio Rogério, um dos dirigentes do Colégio Carlos Gomes, que acompanhou as buscas pelo Corpo mde Bombeiros Militar do corpo do estudante ainda submerso nas águas do rio Mundaú.

Durante o sepultamento colegas de João Paulo usavam uma fita preta na testa, outros no braço, em sinal de lutoi pela perda do colega. Frases bíblicas e outras retratando a importância do colega foram colocadas numa faixa gigante, num sentimento de luto.

João Pedro era aluno do 3º Ano B e de acordo com depoimentos de amigos do estudante, houve mnomentos em que ele chegou a perder uma semana de aula devido não ter uma sandália para frequentar o Colégio, por estava descalço. E foi exatamente essa sandália que ele eseperado tentou recuperar quando ela passou a descer numa correnteza do rio e João Paulo a margem do rio acompanhou o curso das águas até se jogar numa região considerada por ele como rasa para recuperar o chinelo.

Desequilibrado, ele passou a se afogar. No grupo de colegas, nenhum sabia nada e, só restou pedidos de socorro aos gritos, até o corpo do estudante desaparecer nas águas turvas do rio Mundaú.

Agéis, Bombeiros Militar, sob o comando do Sargento Alex, estiveram no local para resgate do corpo. Os bombeiros contaram com a ajuda de nativos que localizaram João Pedro a uma distância de 20 metros de onde ele teria caído dentro do rio.

No sepultamento, rostos tristes e seblantes em busca de explicações sobre a tragédia que se abateu no Colégio Carlos Gomes de Barros. O esquife do estudante foi recebido sob aplausos de colegas e parentes da vítima. Ele baixou a sepultura passava das 17h e 30m.


Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 3028-7338 (Redação)

© 2017 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.