OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 20 de setembro de 2018

Colunistas

Ivan Nunes Ivan Nunes
É jornalista profissional. Há mais de 20 anos escreve sobre os bastidores da política na Zona da Mata alagoana.
02/04/2018 às 12:32

Água invade principal avenida de conjunto habitacional e Prefeitura de União se esconde do problema

O bairro Nilton Pereira é formado por moradores oriundos das ruas Demócrito Gracinco (antiga rua da Ponte) Jatobá, Juazeiro, Ponte da Guida e Beco do Urubu, parte baixa de União dos Palmares, complementado por outras famílias da Usina Laginha, Caipe e Roberto Correia de Araújo. Todos vítimas das enxurradas de 2010 que desabrigou centenas de milhares de famílias.

Com recursos enviados pelo presidente Lula para o processo de reconstrução de boa parte de União dos Palmares, o então prefeito era Areski Freitas, o Kil, que lutou incansávelmente para que o então governador Teotonio Vilela Filho fechasse negócio nas terras do empresário, Paulo Newton, numa área denunciada pelo então vereador do PT, Manoel Feliciano, que descobriu ser mangue do riacho Canabrava que margeia o Nilton Pereira, antes uma grande plantação de cana de açúcar.

Kil de Freitas endossou a compra do terreno e a construção das unidades residencias teve início. As fortes chuvas que caem no estado, revelam a verdadeira face do bairro com águas paradas, sem ter como escoar, graças a um erro de engenharia grosseiro.

Nestas imagens feitas por um morador e colocadas nas redes sociais, é possível notar a fragilidade do Nilton Pereira e a total distância da secretaria municipal de Infraestrutura comandada pelo filho do ex-prefeito, Iran Menezes, o Júnior Menezes, que evita, mesmo sendo domingo, atacar a mazela que vem provocando medo aos moradores do bairro que vivem o drama de uma nova cheia devido ao volume de água, além do mais, com suposta invasão das águas dentro das casas e perdas de móveis das famílias que residem no local.

A revolta é latente com relação a essa situação, e nesta quarta-feira,4, o vereador Ricardo Praxedes vai denunciar o caso ao promotor de Justiça do Gecoc, Carlos Davi pera que Areski de Freittas seja responsabilizado, pois ele sabia da área inóspita e indevida desde a negociação do terreno com o Governo Federal."Deve ter rolado comissão ai, só sendo?" reagiu indignado Ricardo Praxedes.

O blog digital tentou falar com agentes da Defesa Civil da prefeitura de União dos Palmares bem como membros da Seinfra, mas não obteve exito. Assista o vídeo.

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.