OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 12 de dezembro de 2018

Colunistas

Ivan Nunes Ivan Nunes
É jornalista profissional. Há mais de 20 anos escreve sobre os bastidores da política na Zona da Mata alagoana.
25/10/2018 às 12:26

Iphan impõe regras para conclusão do acesso à Serra da Barriga, mas acaba cedendo

Engenheiros e técnicos do Iphan durante decisão. Engenheiro Bruno Menezes, representou o pai, engenheiro Iran Menezes Engenheiros e técnicos do Iphan durante decisão. Engenheiro Bruno Menezes, representou o pai, engenheiro Iran Menezes

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) Instituição federal vinculada ao Ministério da Cultura, responsável por preservar, divulgar e fiscalizar os bens culturais brasileiros, além de garantir a utilização desses bens pela atual e futuras gerações acaba de dá um enorme passo para a conclusão da obra de acesso ao Parque Memorial Quilombo dos Palmares, em União dos Palmares, autorizando a construtora Amorim Barreto, a evoluir na aplicação das pedras em paralelepípedo no trecho que antecede o Platô da Serra da Barriga.

O encontro contou com a presença do representante do DER, engenheiro Bruno Menezes, que se fez presente em nome do seu pai, ex-prefeito de União dos palmares, Iran Menezes, que atualmente é o responsável pelo setor de obras do Governo de Alagoas. Ele convalesce de uma cirurgia de próstata além dos engenheiros da construtora e membros do Iphan(Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Os engenheiros do Iphan vieram com o objetivo de mascarar a finalização da obra, alegando que tinham recebido orientações dos arqueólogos para não permite que aquele pequeno fosse alvo de outras escavações, principalmente para se colocar pedras de paralelos.

Graças a argumentação dos engenheiros da construtora e do DER, os representantes do Iphan acabaram cedendo por enxergar que não haveria prejuízos nos quase 200 metros de calçamento e que a obra ficaria incompleta, o que motivaria pesadas críticas ao governo de Alagoas.

Por outro lado, cerca de 600 metros de calçada foram feitas dando um novo aspecto a obra. "Adorei essa calçada, por que ela servirá como alternativa para caminhadas em direção à Serra e, isso, para quem costuma praticar esportes foi uma mão na roda', disse Marluce de Oliveira, que mantém o hábito de caminhar todas as tardes em direção a região quilombola do Muquém.

- Tudo concorre para que essa obra acabe no dia 20. É um desejo do governador Renan Filho e existe um entendimento para isso, comentou Bruno Menezes, engenheiro do DER e que acompanhou a dificil negociação entre os representantes do Iphan e a construtora Amorim Barreto.

Na atual fase, a pavimentação asfáltica está praticamente concluída, faltando apenas a sinalização. O grande focoa agora é a conclusão da calçada, a partir da fazenda Jurema, de propriedade do ex-governador Manoel Gomes de Barros.

Cerca de 20 homens trabalham pela conclusão da calçada e outra parte, com um contigente maior, se encontram no último trecho já no platô da Serra da Barriga em ritmo acelerado na aplicação do calçamento em paralelepípedo. 

Para os mais ceticistas, a obra está sendo anunciada para ser inaugurada no dia 20 de novembro, dia Nacional da Consciência Negra no Brasil, com a presença do governador Renan Filho. A rodovia de acesso à Serra da Barriga, vai se chamar professor Dilson Moreira, referência no turismo cultural do município numa justa homenagem do governo de Alagoas.

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.