OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 23 de janeiro de 2018

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) é editor-geral do AL1.
10/01/2018 às 16:36

TAC define ajustes, mas o Maceió Verão continua, erroneamente, gradeado e tratado como uma praça de guerra

A reunião desta quarta-feira, entre Ministério Público, Prefeitura de Maceió, Corpo de Bombeiros e a Branco Produções, responsável pela logística do Maceió Verão esclareceu, definitivamente, que as cenas lamentáveis ocorridas no último sábado aconteceram por falha humana. O erro foi coletivo – dos órgãos fiscalizadores e da empresa organizadora – mas quem pagou o pato foi o público e o evento.  

Antes da assinatura do novo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), os envolvidos fizeram uma avaliação do primeiro sábado. Ficou evidente que havia mais gente dentro da estrutura cercada, de que o número aprovado no projeto enviado ao Corpo de Bombeiros.

Há informações de que 30 mil pessoas estavam na área interna, onde aconteciam os shows, e outras 30 mil do lado de fora. A Branco Produções disse que haviam 25 mil pessoas, mas não se preparou para evitar o massacre, já que o projeto estava montado para 18.200 pessoas.

O maior erro do evento foi e continua sendo o gradeamento. A empresa tem suas razões para não abrir mão de algo que está acordado com a Prefeitura e Ministério Público, mas bem que poderia evitar nova possibilidade de espancamentos em série. Neste contesto o prudente é abrir mão de alguns reais, que bancar a culpa de uma tragédia.

Erro estratégico
O primeiro dos erros (que continuam) é limitar o público num evento popular. O segundo é criar barreiras de vistorias a cinco metros da entrada e logo na sequência, já na área interna. Quando a catraca contabilizar 18.200 pessoas os portões serão NOVAMENTE fechados. Para quem não sabe, as confusões começaram, justamente, porque não havia mais espaço e houve a quebra de grades, o que gerou os primeiros tumultos.

A ideia, definida nesta quarta, para acalmar quem ficar de fora, será colocar dois telões na área externa. Imagine se vai adiantar? A fiscalização será reforçada com câmeras de vídeo-monitoramento. Está atestado o temor

Clima hostil
A organização tem noção do risco de novos incidentes. Não precisa ser especialista em segurança para saber que o mais importante, neste momento, seria prevenir, mas sem intimidar as pessoas.

Para assistir de telão é mais aconselhável ficar em casa e acompanhar pelos sites e as Tvs Pajuçara e Ponta Verde, que transmitirão ao vivo e em tempo real.

Não precisaria ser assim, porque o Maceió Verão é um projeto de sucesso, pensado para promover lazer e diversão.

Sábado, 14
As atrações deste final de semana são os alagoanos da Cheiro de Calcinha (banda liderada pelo vereador Lobão) e Vitor Pirralho. Na sequência subirão os baianos do Babado Novo e o pagodeiro Péricles

É torcer e pedir a Deus, que tudo corra bem. 

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.