OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 16 de outubro de 2018

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
05/06/2018 às 11:14

No Pilar a violência está dando vez às oportunidades de como viver bem

Banco do Povo vai transformar o modelo econômico do Pilar Banco do Povo vai transformar o modelo econômico do Pilar

Imagine um lugar marcado, há décadas, pelas marcas da violência, motivada pelos crimes de mando e pelo tráfico de drogas.

Agora imagine uma cidade onde famílias que viviam abaixo da linha da pobreza, ou seja, com menos de 387 reais/mês, passaram a viver do próprio negócio, com renda superior a um salário mínimo/mês. Nesta mesma cidade a Prefeitura tem feito o possível para que mais famílias tenham novas oportunidades de vida e que pequenos comerciantes tenham melhor desempenho para aumentar a receita do próprio negócio. Nesta cidade, que aposta na sua gente, a prefeitura criou o Banco do Povo.

Como entender que a “cidade do sangue”, citada no primeiro parágrafo deste texto é a mesma cidade do parágrafo abaixo, que respira prosperidade.

A cidade em questão é Pilar, onde o prefeito Renato Rezende comanda uma verdadeira transformação social e econômica. Na saúde e educação há mudança de perfil, mas os 16 meses de administração não possibilitam os mesmos efeitos avassaladores.

No Pilar o programa Plantando o Futuro, coordenado pela Secretaria do Meio Ambiente segue produzindo hortaliças e esperança de dias cada vez melhores. Tão importante quanto as oportunidades ofertadas para mais de 500 pilarenses é saber que tudo o que é produzido é consumido no município.

A novidade, agora, é o Banco do Povo. O projeto é pioneiro e conta com recursos próprios, do município, para fomentar o desenvolvimento de quem tem um pequeno comércio informal. “Caso o empresário ou futuro empresário queira se candidatar a um financiamento que vai variar de R$ 500 a R$ 2.500 vai passar por uma avaliação com critérios do banco e não é necessária a exigência de um fiador. O empresário pode utilizar um microcrédito para melhorar e ampliar o negócio”, explica o prefeito Renato Rezende.

A confiança no pilarense é tanta que, quem deseja fazer um financiamento, o banco não vai fazer consulta ao SPC e Serasa. Pelo contrário: Em parceria com o Sebrae vai oferecer capacitação para os clientes, de como melhorar o negócio, como gastar melhor, como comprar melhor, como entender a forma de investimento e administrar a empresa.

A única condição que a prefeitura exige é que o cliente apresente a proposta, que contenha o plano de negócio. “O banco do povo é uma oportunidade para que os pilarenses possam crescer e empreender dentro da própria cidade. Assim, estamos gerando emprego e renda para eles, o que é uma enorme satisfação”.

Satisfação é a palavra que resume a transformação porque que passa o Pilar. Pelo bem dos pilarenses, é vida que segue – MUITO BEM VIVIDA

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.