OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 14 de novembro de 2018

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
15/06/2018 às 08:46

Ex-garota-problema da política, Heloísa Helena faz campanha Zen

Batedor de carteira, canalha, cretino, facínora eram as frases de efeito mais comuns da pacata enfermeira Heloísa Helena, que se transformava numa leoa indomável quando o assunto era política.

Vice-prefeita
Com o discurso afiado, proibido para menores de 16 anos, ela se uniu a Ronaldo Lessa e a dupla deu início a um novo ciclo na política de Alagoas, a partir das eleições de 1992.

Deputada estadual
A aliança durou pouco e a vice-prefeita logo rompeu com o então prefeito da capital. O fim da amizade transformou Heloísa, então militante da linha de frente do PT, num problema para os políticos da chamada direita. Tirando os companheiros do PT e dos partidos de esquerda (da época) todos tinham o carimbo de mau-caráter (para resumir o texto). Na contramão do tradicionalismo, em 1994 Heloísa chegou à Assembleia Legislativa, onde fez um verdadeiro carnaval. Praticamente todos os 26 colegas de parlamento foram alvos da metralhadora oral do grande no nome do PT alagoano.  

Senadora
Foi com o discurso da moralidade que Heloísa deu o pulo-do-gato para voltar ao palanque de Ronaldo Lessa e vencer o favoritíssimo Guilherme Palmeira, na disputa pela única vaga ao Senado, nas eleições de 1998.

Passado o pleito Ronaldo se aliou ao PMDB, de Renan, e ao PSDB, de Teotonio Vilela Filho, partidos opositores do derrotado PT, nas eleições presidenciais. Com Lula desbancado por FHC, coube a Heloísa a missão de atirar para todos os lados, no Senado Federal. E a metralhadora funcionou além da conta. Nas eleições de 2002 Lula, alicerçado pelos xingamentos da garota problema do Senado Federal, finalmente chegou lá.

É importante ressaltar que Heloísa foi o primeiro grande nome do PT (no exercício do mandato) a pular fora do barco petista. Chamada de louca, foi uma das fundadoras do PSOL, em 2004.

Derrota para presidente
A mágoa com o PT mudou o rumo político de Heloísa, que em 2006 trocou o Senado pelo sonho de presidir o Brasil. Ela surpreendeu e terminou as eleições presidenciais em terceiro lugar, com 6,5 milhões de votos (6,85% do total), perdendo para Lula e Geraldo Alckmin.

Vereadora mais votada
Fora da mídia nacional e local, Heloísa deu um passo atrás e recomeçou, em 2008, sendo a vereadora mais votada de Maceió, com 29.516 votos. Politicamente isolada, o discurso inflamado não ecoou como em 1998 e ela sucumbiu em meio à aliança branca entre Renan Calheiros e Benedito de Lira, eleitos para o Senado, nas eleições de 2010.

Nova roupagem
Agora na Rede, liderada nacionalmente pela presidenciável Marina Silva, a menina que nasceu em Pão de Açúcar, no Sertão de Alagoas e ganhou o Brasil contrariando os interesses da politicagem, vai tentar chegar à Câmara Federal. Aos 56 anos e sem mandato, os pleitos e parcerias certamente ensinaram muito a sertaneja, bastante silenciosa no momento em que o Brasil está de cabeça para baixo – politicamente, economicamente e moralmente falado.

Ah... que saudade daquela desbocada, que falava pelos cotovelos.  

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.