OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 23 de setembro de 2018

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
14/08/2018 às 18:20

Na corrida maluca ao Senado, Maurício Quintella está voando mais alto que a concorrência

Paixões à parte e pegando o gancho no texto anterior Erros na condução das eleições em Alagoas deixarão “mortos” e sequelados  a disputa para as duas vagas ao Senado já está sendo chamada de “a Corrida Maluca”. Vou mais longe: “Corrida Mortal”.

Há seis meses Benedito de Lira e Renan Calheiros eram vistos como imbatíveis. Hoje, segundo as pesquisas internas, lideram, mas ameaçados de perto por Rodrigo Cunha e Maurício Quintella.

Quem é quem?
Benedito, com a supervisão de Arthur Lira, é o que se organizou melhor. Na linha de frente do PP nacional, pai e filho fizeram um verdadeiro derrame de realizações e distribuição de milhões para os municípios. Tudo dentro da lei (que fique bem claro). A diferença entre eles é que Arthur luta para ser o mais votado e confirmar mais prestígio para presidir a Câmara Federal. Já Benedito, recordista em realizações, sabe que uma derrota representará o fim de linha trágico após 50 anos de vida pública. Benedito, se perder, estará morto (politicamente falando). 

Renan Calheiros é a bola da vez. Principal nome da política de Alagoas, em nível nacional, tem uma eleição complicada. Pelos números das últimas pesquisas lidera com Benedito, mas já sente a respiração dos concorrentes no cangote. Principal articulador dos prefeitos e da bancada federal, em todos os corredores de Brasília, Renan vive o mesmo dilema de Benedito: Tem o apoio e respaldo do filho, mas, se perder, também conhecerá o fim da linha, após 40 anos de vida pública.

Rodrigo Cunha é o nome da vez dos que se dizem indignados com a podridão política. Ao trocar a Assembleia pela disputa ao Senado arriscou seu futuro político (ascendente). Com dificuldade de relacionamento com os pares, a postura pode lhe custar caro. Dos principais nomes é o que menos sofrerá em caso de derrota, mas as sequelas podem lhe tirar do ciclo político.

Maurício Quintella continua surpreendendo. Aliás, é a grande surpresa da corrida ao Senado. Graças à adoção de Renan Filho, o ex-ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil é o que mais sobe (segundo as últimas pesquisas). Sobe nos números e nas alturas. Para quem não sabe, Maurício é o único dos candidatos ao Senado (pelo menos por quanto) que dispõe de helicóptero para visitar as bases. O fruto da aliança com os Calheiros e Marx Beltrão é a adesão de 58 prefeitos à sua eleição. Maurício está voando alto e demais, o que tem preocupado a todos. Assim como Benedito e Renan, Maurício sabe que a derrota representa o fim da linha (entre os grandes). Ainda jovem terá tempo para recomeçar (desta vez, sem helicópterlo e amigos de ocasião ).  

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.