OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 19 de novembro de 2018

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
14/09/2018 às 08:16

Extorsão eleitoral: onça é extinta e candidatos protestam

Voto no cadastro só a partir de R$ 100 Voto no cadastro só a partir de R$ 100

As eleições deste ano têm cadastro, compra e venda de votos, tem os mesmos políticos, novatos que representam clãs e, claro, a volta dos que nunca foram, como o malabarista João Caldas da Silva e a metralhadora ambulante Heloísa Helena, só para citar alguns.

Então por que o processo eleitoral de Alagoas não desperta o mínimo de curiosidade no eleitorado, se disputam o processo algumas das figuras mais conhecidas, emblemáticas, citadas, indiciadas e até processadas por sacanagem com o dinheiro público?

Eleição em Alagoas não é qualquer coisa não. Estão no jogo um ex-presidente da república, o único senador a ocupar a presidência do Congresso Nacional por quatro vezes, quatro ex-ministros de Estado e o próximo candidato à presidência da Câmara dos Deputados. Ainda tem Renan Filho que sonha em virar presidente do Brasil.

E por que será que, nem com tanto apelo para dizer sim e dizer “esse não”, cerca de 40% não têm opinião formada para o governo do Estado e mais de 60% do eleitorado não conseguem apontar dois senadores.

Situação mais gritante é vista para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa, berço dos cadastros eleitorais. Os institutos de pesquisa apontam nas amostras em regime de tracking (rastreamento eleitoral) que o não sabe, não opinou e nenhum deles representam mais de 90%, nas perguntas espontâneas.

Faltando três semanas para as eleições o desinteresse do eleitorado fortalece a estratégia dos fora da lei que precisam do mandato para permanecer ou garantir o foro privilegiado. 

E por que ainda não há interesse do eleitorado? Porque o dinheiro do cadastro não chegou (e não chegará para muitos).

E tem mais:
voto de estadual é comercializado por R$ 100 
casadinha estadual+federal é R$ 150  

Onça (R$ 50) está extinta do pleito

"Desfiz alguns acordos. Além da dificuldade em arrumar o dinheiro pra eleição os caras (cabos eleitorais) só fecham o estadual por 100 (reais) e a casadinha 150 (reais). Os caras (candidatos) tão tudo doido".

Este foi o triste depoimento que ouvi de um deputado e muito bem cotado para a reeleição.  

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.