OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 22 de setembro de 2019

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
04/06/2019 às 09:15

Blocos articulam “Arca de Noé” para manter o MDB fora de Arapiraca

Sentindo as primeiras dificuldades à frente do Governo de Alagoas, Renan Filho terá que mostrar, num curto espaço de tempo, que adquiriu maturidade para resolver os próprios desafios.

Na seara eleitoral a situação também começa a apertar. Nos próximos dias nomes do MDB deixarão a sigla por conta das disputas nos municípios. Durante décadas, Renan Calheiros conseguiu fechar os olhos para os embates e sair bem na fotografia. 

Até 2016 era assim: onde tinha aliados disputando, Renan não pisava lá.

Tudo indica que a turma fiel ao senador cansou – ou acordou. Com Renan em baixa no cenário nacional e Renan Filho sem reconhecer a tropa, a debandada do MDB é tida como natural e em nome da sobrevivência dos velhos soldados (ignorados pelo novo general).

Desafios
Em Maceió os Renan’s já sabem que perderam o time (tradução do inglês para "tempo", mas pode ser time de equipe mesmo) para indicar um candidato com o DNA 15. Conhecendo um pouco do estilo Renan, o MDB deve pender para o lado mais forte e espalhar o discurso de que fez ou foi decisivo na vitória. O problema é que as pontes construídas por Renan, ao longo de décadas, estão sendo destruídas por Renan Filho.  

Em Arapiraca Ricardo Nezinho já confirmou que vai disputar a Prefeitura. Filiado ao MDB, ainda pode enfrentar a disputa interna com o vice-governador Luciano Barbosa. Neste caso seria um racha no partido, porque o deputado estadual já definiu que não abre mão da revanche nas urnas, mesmo que não seja contra Rogério Teófilo.

Assim como acontece na capital, Renan Filho teve tempo e prestígio popular para montar seu exército, mas o jogo coletivo não é seu forte. Pelo mesmo erro estratégico não há mais como adquirir a confiança dos iguais.

Para se ter uma ideia do tamanho do erro de Renan Filho, grupos adversários em Arapiraca já articulam uma composição para manter o MDB fora do comando da Capital do Agreste. A missão não é aniquilar Ricardo Nezinho, mas mostrar ao governador que política não se faz sozinho.

Pulo do gato
Pouca gente sabe, mas o plano B do governador, em caso de derrota para o Senado, em 2022, é uma assessoria num órgão internacional, que já vem sendo articulada. Pelo andar da carruagem política do MDB, a carreira internacional segue a passos longos para ser a única opção do nosso bom governador.

Mas, aí... é outra história (apenas parafraseando o colega Edivaldo Júnior). 

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2019 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.