OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 13 de dezembro de 2018

Artigos

10/09/2018 às 16:23

Temporada de incêndios

Sandra Lira (*)

A semana comemorativa da Independência do Brasil começou com um grave incêndio que destruiu 20 milhões de itens do acervo do Museu Nacional, entre eles a própria Declaração da Independência. Ironia ou profecia, o documento histórico da Independência foi destruído exatamente no momento em que a aplicação do neoliberalismo selvagem do ilegítimo governo Temer põe em risco a Soberania Nacional, desnacionalizando o patrimônio natural e entregando a preço vil as empresas de setores estratégicos como energia, água, petróleo, minérios, tecnologia.

A omissão da informação faz com que a população desconheça os valiosos tesouros naturais que estão sendo entregues. A população alagoana desconhece que a Eletrobras pode ser posta a leilão por míseros R$50.000,00 (cinquenta mil reais), e que esta privatização pode significar a redução da oferta de energia elétrica para as os mais pobres, as áreas rurais, as periferias urbanas.   

Contudo, além do patrimônio material, o temeroso desgoverno está destruindo o patrimônio cultural, artístico e científico do país. A Emenda Constitucional 95/2016, aprovada por 2/3 do Congresso, congelou por 20 anos os recursos para as Políticas Públicas Sociais. Educação, Saúde, Ciência, Tecnologia e Inovação, Cultura, Preservação do Meio-ambiente sofreram cortes brutais de recursos, que foram desviados para o pagamento de juros da dívida pública, em favor dos banqueiros, enquanto grassam um crescente déficit fiscal, recessão e gravíssimo desemprego.

Na organização do Orçamento 2019 o governo temeroso chegou a cortar as bolsas de pesquisa e de pós-graduação de todo o país, e depois de muitas críticas retornou à posição de congelamento, ou seja, os programas de desenvolvimento científico não terão crescimento algum. 

Como falar de Independência do Brasil se chamas destroem nossa memória e cultura? Coleções raras e inestimáveis que preservavam a memória dos povos indígenas, dos povos africanos, da pré-história brasileira, de grandes civilizações e 200 anos de pesquisa científica de nossa fauna e flora se perderam no incêndio do Museu Nacional. 

A cobertura midiática do incêndio provocou perplexidade, pois o “complexo de Vira-latas” sequer permitia que a sociedade soubesse da existência de tão grandioso tesouro. E, antes mesmo do sétimo dia de “luto” declarado nas redes sociais o Museu Nacional já foi esquecido. Novo incêndio na cena política, com o transbordamento da violência no processo eleitoral, capturou as atenções públicas. O discurso de ódio aumentou em vários graus a temperatura política, e a Democracia também pode virar cinzas.

 O luto pelo Museu Nacional restringe-se agora aos poucos que compreendem quão graves perdas o país sofreu e está sofrendo, e as consequências nefastas para o presente e o futuro de tantos incêndios.

Luto. Lamento substantivo. Luto, verbo de ação.

(*) É candidata a deputada estadual


Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.