OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 16 de novembro de 2018

Brasil/Mundo

03/02/2018 às 17:04

Cristiane Brasil é investigada em inquérito sobre associação para o tráfico de drogas

Denúncia afirma que assessores da deputada pagaram para ter 'direito exclusivo' de fazer campanha em bairro do Rio Denúncia afirma que assessores da deputada pagaram para ter 'direito exclusivo' de fazer campanha em bairro do Rio

A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) está sendo investigada em um inquérito sobre tráfico e associação para o tráfico de drogas. A informação foi publicada pelo jornal O Estado de São Paulo e confirmada pela TV Globo.

A investigação foi aberta pela Polícia Civil do Rio de Janeiro em 2010 a partir de denúncias de que assessores de Cristiane Brasil pagaram a traficantes para ter "direito exclusivo" de fazer campanha em Cavalcanti, bairro da Zona Norte da cidade.

Além disso, segundo os denunciantes, presidentes de associações de bairro foram levados para conversar com o chefe do tráfico na região por estarem se recusando a trabalhar para a deputada.

Procurada pelo G1, a assessoria de Cristiane Brasil disse que o inquérito foi aberto baseado em uma denúncia anônima durante a campanha de 2010. Ela afirma ainda que não foi ouvida no inquérito e nega veementemente que teve contato com qualquer criminoso. (Veja a íntegra da nota no fim da reportagem)

À época dos fatos, Cristiane era vereadora licenciada e ocupava uma secretaria da Prefeitura do Rio. Na eleição de 2010, ela não se candidatou, mas apoiou a candidatura do deputado estadual Marcus Vinicius (PTB), ex-cunhado da parlamentar.

Embora a deputada tenha tomado posse em 2015 e ganhado foro privilegiado, o inquérito foi enviado apenas na última quinta-feira (1) para a Procuradoria da República no Rio e deve ser encaminhado nesta segunda-feira (4) para a Procuradoria Geral da República (PGR). A Polícia Civil do RJ investiga o caso desde 2010.

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, pai de Cristiane Brasil, afirmou, por meio de sua conta no Twitter, que ficou assombrado com a revelação. Ele apontou que sua filha não disputou as eleições de 2010, quando as irregularidades investigadas pelo inquérito teriam ocorrido.

Roberto Jefferson

@blogdojefferson

A matéria diz que Cristiane Brasil é alvo de inquérito por suspeita de associação ao tráfico de drogas em uma eleição, a de 2010, da qual não participou.

1:30 PM - Feb 3, 2018

 50 50 Replies   43 43 Retweets   158 158 likes

Twitter Ads info and privacy

Em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo" publicada na tarde deste sábado, Jefferson disse ainda que não vai desistir da nomeação de Cristiane para o Ministério do Trabalho e que a filha "não vai sair de bandida" do episódio.

"Não vamos desistir da indicação, tem que levar até o fim a votação no Supremo Tribunal Federal. Minha filha não vai sair de bandida", afirmou Jefferson à Folha.

Ao ser questionada sobre as investigações, a assessoria do deputado estadual Marcus Vinicius (PTB) disse que ele já prestou esclarecimentos sobre uma "denúncia anônima e alegou motivações políticas de algum adversário com a atuação do parlamentar nessa região".

Ministério do Trabalho

Cristiane Brasil foi nomeada ministra do Trabalho pelo presidente Michel Temer em 4 de janeiro. Quatro dias depois, contudo, a Justiça Federal do Rio de Janeiro suspendeu a posse, atendendo a um pedido segundo o qual a deputada feriu o princípio da moralidade por já ter sido condenada por dívidas trabalhistas.

Após perder vários recursos, a Advocacia Geral da União (AGU) recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que liberou a posse.

Mas, dois dias depois, a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, suspendeu novamente a posse, de maneira liminar, até tomar uma decisão definitiva sobre o assunto. Não há data marcada para o julgamento do caso.

No processo, a parlamentar afirmou que o motorista "exercia tão somente trabalho eventual" e que "não era e nem nunca foi seu empregado". Segundo Cristiane Brasil, ela o conheceu quando trabalhava na Câmara dos Vereadores e tinha relação meramente comercial, "sem exclusividade e subordinação".

Veja a íntegra das notas

Cristiane Brasil

"Cristiane Brasil esclarece que o inquérito foi aberto baseado em uma denúncia anônima durante a campanha de 2010, ano em que sequer foi candidata. A deputada afirma que não foi ouvida no inquérito e nega veementemente que teve contato com qualquer criminoso. Cristiane Brasil afirma ainda estranhar o encaminhamento do processo 8 anos depois ao Ministério Público Federal , justo agora que foi nomeada para assumir o Ministério do Trabalho."

Deputado Marcus Vinícius

"Durante o ano de 2010, o deputado Marcus Vinícius (PTB) prestou esclarecimentos acerca de uma denúncia anônima feita claramente por motivações políticas de algum adversário incomodado com a atuação do parlamentar na região (no ano em questão ocorria a campanha para deputado estadual). Logicamente sem nenhum fundamento, os fatos narrados na denúncia anônima não foram comprovados. O fato é que nunca houve nenhuma denúncia criminal contra o parlamentar, o que pode ser comprovado por qualquer cidadão por simples consulta ao site do TJ."

Fonte: G1


Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.