OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 12 de dezembro de 2018

Direitos Humanos

28/11/2018 às 07:02

Cartilha de Combate ao Assédio Moral e Sexual será lançada com palestras

Izadora García - relações públicas

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep) lançará cartilha de combate ao assédio moral para conscientizar os servidores sobre o problema. A ação faz parte de uma série de medidas de valorização e promoção da qualidade de vida no trabalho propostas pela Gestão. O material será lançado em evento no dia 6 de dezembro, no auditório da Biblioteca Central, às 8h da manhã.

Durante o lançamento, a psicóloga Alda Karoline ministrará as palestras O assédio moral e sua invisibilidade na cultura organizacional, diferenciação conceitual e sensibilização frente aos impactos do assédio na saúde psíquica, Apropriações frente a possíveis situações de violência ou assédio nos espaços laborais. Servidores da Ufal são o público-alvo do evento, será disponibilizado certificado de participação de 4 horas e é necessário fazer inscrição. Clique aqui para acessar o link.

Cartilha ajudará servidores a entender mais sobre o assunto

 A Cartilha de Assédio Moral e Sexual explica, de maneira didática, o que é o assédio e de que formas ele se manifesta, apresentando maneiras de reconhecê-lo. Além disso, também explica quais medidas podem ser tomadas pelo servidor e pelo setor para evitar que os problemas se agravem. De acordo com os idealizadores do projeto, quem passa por situações de assédio, seja ele moral ou sexual, encontra a barreira da desinformação. E orientações claras sobre como e onde buscar ajuda podem fazer toda a diferença.

O conteúdo foi elaborado pela assistente social Maria da Conceição Clarindo, em parceria com os enfermeiros Maria Zélia de Araújo e Samuel Correia, e com a participação de estagiários em serviço social da Coordenação de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT/Progep).  Camila Fialho, programadora visual da Ascom, cuidou do projeto gráfico, da diagramação e da direção de arte do material.

Para a reitora, Valéria Correia, qualquer tipo de assédio ocorrido dentro do ambiente institucional é inadmissível e a Gestão tem procurado orientar servidores para identificar e denunciar os casos, por meio de diversas ações. “Temos uma preocupação constante com o tema. Já realizamos seminários sobre assédio moral e sexual e esse também é um debate que pautamos no Fórum dos Técnicos. A cartilha é mais um elemento desse processo. Nosso objetivo maior é elaborar uma  política que trate do assédio moral e sexual, uma resolução no conselho que seja específica para tratar desses casos”, afirmou.

Mas afinal, o que é o assédio no ambiente de trabalho?

O assédio consiste na prática de constranger e humilhar repetidamente um trabalhador durante o exercício de suas funções. Geralmente está relacionado à hierarquia, mas pode acontecer também entre funcionários com cargos e atribuições equivalentes. As constantes agressões, o ambiente de trabalho tóxico e o isolamento laboral podem gerar consequências psiquiátricas graves como depressão ou síndrome do pânico.

Por coação ou vergonha, muitas vezes, casos não são notificados ou denunciados. Os servidores da Ufal dispõem de canais internos e externos de denúncia. Caso você seja vítima ou conheça alguém que esteja passando pela situação, pode entrar em contato com a ouvidoria ou com sindicatos e entidades de defesa dos direitos humanos.

"Falar sobre o assédio é muito necessário. Precisamos conhecer e discutir sobre esse tema, para, em certa medida, diminuir a incidência de comportamentos assim dentro da nossa instituição. Saber o que é e onde buscar auxilio em casos de assédio é uma das propostas da nossa cartilha. Nossa equipe de CQVT entrega à universidade um trabalho resultante de acumulados debates na área", finaliza Carolina Abreu, pró-reitora de Gestão de Pessoas. 




Fonte: Ascom Ufal

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.