OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 16 de junho de 2019

Direitos Humanos

03/01/2019 às 12:55

Violência contra mulher é crime e precisa ser denunciado

Violência contra a mulher pode ser denunciada pelo Ligue 180 Violência contra a mulher pode ser denunciada pelo Ligue 180

Amanda Falcão (estagiária)

A violência contra mulher afeta pessoas de todo o Brasil e o principal meio para se defender do agressor é através da denúncia. Seja ela por telefone ou presencialmente em uma delegacia, o objetivo é que cada vez mais mulheres sejam orientadas sobre como podem combater esse tipo de violência e como a denúncia pode ajudar a diminuir o número de vítimas.

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), por meio da Coordenação dos Direitos da Política da Mulher, orienta sobre como proteger as vítimas do agressor e conseguir retornar a vida normal. De acordo com a coordenadora, Daniela Lamenha, a principal maneira de acabar com a violência é denunciando.

“Quando uma mulher sofre a violência, a primeira coisa que ela deve fazer é procurar ajuda. Em Maceió, nós temos diversos pontos de encaminhamentos, como os Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) até as próprias Delegacias Especializadas da Mulher. O mais importante é que a vítima ou alguém que seja próxima e saiba da situação denuncie e evite algo pior. Ela pode primeiro denunciar ao 180, e em seguida ir ao Instituto Médico Legal (IML) fazer um exame de corpo de delito e, por fim ir, a uma delegacia, seja especializada ou não, para que seja feito o Boletim de Ocorrência”, disse.

Ainda segundo Daniela, a Justiça busca formas de auxiliar as mulheres não só de Maceió, mas também de outros municípios. “Quando uma mulher de outro Município sofre uma violência, ela deve procurar a Secretaria de Assistência Social de onde mora, ou em alguma delegacia especializada da mulher. Se não houver, ela pode ir a qualquer delegacia e realizar o BO. Através desse processo, a Justiça será acionada e o juiz irá encaminhar o melhor direcionamento para a situação”, explicou a coordenadora.

Em Maceió, a Casa de Acolhimento Institucional Viva Vida atende mulheres vítimas de violência doméstica, que foram encaminhadas pela decisão de um Juiz, por estarem em situação de risco devido ao agressor. “As vítimas que são direcionadas para o acolhimento ficam na unidade por seis meses e só são encaminhadas para lá em última instância. Nós tentamos primeiro fazer com que os direitos dessa mulher sejam recuperados e que ela esteja dentro do laço familiar ou o que for melhor”, diz Daniela.

As vítimas de Maceió podem denunciar a violência doméstica em uma das unidades da Delegacia de Defesa da Mulher, no bairro do Salvador Lyra e no Centro, ou podem também procurar a 38ª Vara de Violência Doméstica Contra a Mulher, na Praça Sinimbu. Mais informações podem ser obtidas por um dos Creas mais próximo.

Endereços e telefones:

  • 1ª Delegacia Especial de Defesa da Mulher fica na Rua Boa Vista, número 443, Centro. Telefone: (82) 32210676.
  • 2ª Delegacia Especial de Defesa dos Direitos da Mulher fica no Conjunto Cambuci, número 65, Antares. Telefone: (82) 3315-4327.
  • Juizado da Violência Doméstica contra a Mulher fica na Rua do Imperador, número 139, Praça Sinimbu, Centro. Telefone: (82) 2126-9671.
  • Coordenação de Políticas para as Mulheres fica na sede da Semas, Avenida Comendador Leão, número 1383, Poço. Telefone: (82) 3315-7873.
  • Creas Jatiúca fica na Rua Deputado Luiz Gonzaga Coutinho, número 210, Jatiúca.  Telefone: (82) 3315-1605.
  • Creas Poço fica na Praça Raul Ramos, sem número, Poço. Telefone: (82) 3327-3239.
  • Creas Orla Lagunar fica na Rua Santos Pacheco, número, 342, Prado. Telefone: (82) 3221-2309.
  • Creas Santa Lúcia fica na Avenida Belmiro Amorim, número 346, Santa Lúcia. Telefone: (82) 3315-6428.
  • Creas Benedito Bentes fica no Conjunto Cidade Sorriso II, Rua P, Quadra E, Lote 7, Benedito Bentes. Telefone: (82) 3315-5919.



Fonte: Ascom


Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2019 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.