OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 16 de setembro de 2019

Saúde

05/09/2019 às 16:49

Câncer de Pulmão: maioria dos casos está associada ao tabagismo

O câncer de pulmão é o segundo mais frequente no Brasil, atrás apenas do câncer de pele, segundo o Instituto Nacional do Câncer¹, com 31.270 novos casos todos os anos. Para conscientizar a população sobre as consequências do uso de tabaco e da poluição ambiental, alguns dos principais causadores da doença foi criado o Dia Nacional de Combate ao fumo, no dia 29 de agosto. A Dra Mariana Laloni, oncologista e coordenadora do Centro de Oncologia do Hospital 9 de Julho (H9J) traz informações relevantes sobre o tema.

Segundo a Dra. Laloni, o tabagismo corresponde à causa da maioria dos diagnósticos e é, portanto, o maior fator de risco para o desenvolvimento da doença. "Fumantes e ex-fumantes costumam ter 20 vezes mais chances de desenvolver câncer de pulmão do que pessoas que nunca fumaram", afirma.

Sintomas e diagnóstico

Na sua fase inicial normalmente o câncer de pulmão é uma doença silenciosa, que traz pouco ou nenhum sintoma. "Isso é um problema, porque quando começam a aparecer os sintomas como tosse, tosse com secreção com sangue, pneumonia de repetição e dor torácica significa que a doença está em fase avançada", alerta a médica. O diagnóstico é feito a partir dos resultados de exames de análises clínicas e de imagem, mas, principalmente, por uma biópsia.

Entre os exames solicitados estão radiografia de tórax, tomografia computadorizada, ressonância magnética, tomografia por emissão de pósitrons (PET-CT) e cintilografia.

Tratamento

Em fases iniciais da doença o tratamento é cirúrgico. Nas fases mais avançadas, quando há um comprometimento grande do pulmão ou quando a doença foi disseminada a outros órgãos, o tratamento é sistêmico, ou seja, do corpo todo.

A médica afirma que o especialista pode lançar mão de quimioterapia isolada, quimioterapia associada a imunoterapia, só imunoterapia ou terapia alvo.

"Entre os profissionais envolvidos no tratamento estão oncologista, pneumologista, cirurgião torácico, radioterapeuta, médico nuclear, enfermeiro, fisioterapeuta e nutricionista". Segundo a Dra. Laloni, em geral, prevenção do câncer de pulmão é não fumar.

¹ Dados do Instituto Nacional do Câncer:

www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-pulmao

Sobre o Hospital 9 de Julho: fundado em 1955, em São Paulo, o Hospital 9 de Julho tornou-se referência em medicina de alta complexidade com destaque para as áreas de Neurologia, Oncologia, Onco-hematologia, Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva, Ortopedia, Urologia e Trauma. Possui um Centro de Medicina Especializada com atendimento em mais de 50 especialidades e 14 Centros de Referência: Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional; Rim e Diabetes; Cálculo Renal; Cardiologia; Oncologia; Gastroenterologia; Controle de Peso, Infusão, Medicina do Exercício e do Esporte; Reabilitação; Clínica da Mulher; Longevidade, Doenças Inflamatórias Intestinais (CDII) e Trauma. Com cerca de 2,5 mil colaboradores e seis mil médicos cadastrados, o complexo hospitalar possui 470 leitos, sendo 102 leitos nas Unidades de Terapia Intensiva, Centro Cirúrgico com capacidade para até 22 cirurgias simultâneas, inclusive com duas salas híbridas (com equipamento de Hemodinâmica e Ressonância Magnética) e três para robótica, incluindo a Sala Inteligente, que permite a realização de cirurgias em sequência.


Fonte: RPMA Comunicação

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2019 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.