OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 21 de agosto de 2018

Turismo

02/08/2018 às 13:17

Seminário discute oportunidades e demandas do turismo de negócios e eventos

Seminário discute oportunidades e demandas do turismo de negócios e eventos Seminário discute oportunidades e demandas do turismo de negócios e eventos

Consolidado enquanto destino turístico de lazer focado em Sol e Praia, o estado de Alagoas vem se firmando também como destino para o turismo de eventos e de negócios. Nesse sentido, o Sebrae em Alagoas, em parceria com o Maceió Convention & Visitors Bureau (MC&VB), realizou, nesta quarta-feira (01), o ‘Seminário Cenários e Oportunidades do Turismo de Negócios e Eventos'. Formado por palestras informativas, análise de cenários e uma mesa redonda para sistematizar ideias e oferecer insights de organizadores de eventos sobre o destino Maceió, o evento procurou destrinchar e apresentar as diferenças entre os três modelos de turismo.

A separação conceitual é passo importante para que os empreendedores possam avaliar o mercado e ver se conseguem atender – com qualidade – o turista de eventos e negócios. Mais exigentes em objetivo da viagem, acomodação, locomoção, instalações de apoio e acesso a tecnologia, esse viajante tem pouca oportunidade de conhecer a cidade em sua viagem profissional, mas tende a voltar depois, acompanhado da família, para explorar o destino e os seus arredores.

Além do duplo gasto na viagem, a cadeia produtiva que gira pela realização de eventos envolve muitos elos: hospedagem, receptivo e traslado, alimentação fora do lar, confecção de brindes e bolsas/pastas, gráfica, fotógrafo, equipamento de som e iluminação, entre diversos outros. A ampliação do olhar dos empreendimentos envolvidos, para que eles se vejam como parte integrante desse trabalho, é um dos objetivos do Sebrae.

“Para fazer um evento, você precisa de estrutura e de pessoas que saibam receber e organizar. O Maceió Convention realiza um importante trabalho de captação de eventos com grandes realizadores no país e congressos internacionais, e isso gera muito recurso para a cidade, pois movimenta uma cadeia de valor enorme. Às vezes, são empresas que organizam os eventos, então é preciso um trato corporativo, com mais profissionalismo. Por isso, organizamos este seminário, para que as pessoas consigam se enxergar nessa cadeia e alcancem o grande objetivo, que é a conquista do cliente.”, expôs Vanessa Fagá Rocha, gerente da Unidade de Comércio e Serviços (UCS) do Sebrae em Alagoas.

Parceiro na realização do seminário, o presidente do Maceió Convention & Visitors Bureau, Clênio Cedrim, pontuou ainda o público qualificado e formador de opinião que visita a cidade durante a realização de congressos, por exemplo, e reforçou a profusão de oportunidades de negócios que a realização de eventos pode gerar em um curto espaço de tempo.

“Na semana passada, tivemos aqui o maior evento científico da América Latina; no próximo fim de semana, teremos um evento esportivo de repercussão mundial, o Iron Man. Realizar eventos aqui é trazer para nossa cidade não só turistas, mas conhecimento, networking com algumas celebridades ou pessoas que não teriam tempo ou oportunidade de estar em Maceió. Isso é imensurável. É muito importante valorizar esse potencial que o turismo de eventos traz à cidade.”, frisou Clênio.

Nesse sentido, o próprio ‘Seminário Cenários e Oportunidades do Turismo de Negócios e Eventos' é um exemplo prático, pois contou com a presença de caravanas de empresários do grupo Experimente o Velho Chico, trazidos pelos Escritórios Regionais do Sebrae em Penedo e Delmiro Gouveia. Vindos de cinco cidades do interior do estado, alguns desses participantes irão pernoitar em Maceió, fazendo girar a engrenagem de hospedagem, alimentação e passeio. Eles esperam poder usufruir do mesmo tipo de atividade em seus municípios em breve.

“O turismo do Vale do São Francisco vem inovando a cada dia e tem várias vertentes, apesar de estar focado muito na natureza e na cultura. Temos tido alguns eventos e estamos buscando novas formas de agradar nosso cliente. É isso o que viemos fazer aqui: aprender mais, buscar novas vertentes, novos clientes e novas parcerias.”, afirmou Fábio Moura, da Estrela Turismo, receptivo de Piranhas, e também o Lampião no recém-lançado city tour cultural da cidade.

Turismo de eventos e negócios

O seminário é uma das ações de capacitação do Projeto Destinos Turísticos Inteligentes, desenvolvido pelo Sebrae em Alagoas, e teve sua concepção idealizada, entre outras demandas, a partir das respostas da ação de ‘Cliente Oculto’: a consultora Vaniza Schuler se passou por uma pessoa interessada em organizar um evento em pousadas da Praia do Francês e monitorou iniciativa semelhante junto a hotéis de Maceió. O feedback foi repassado a cada empreendimento pesquisado, mas também trouxe Vaniza ao evento desta quarta, para apresentar as diferenças de conceito, comportamento e prioridades do turista de negócios e eventos.

“São perfis totalmente diferentes. O turista de lazer é visita e diversão, enquanto o turista de negócios aproveita o máximo de tempo possível para prospectar novos negócios e fazer networking. Já o turista de eventos vem pelo evento em si, mas consegue dar uma fugidinha e aproveitar o local, explorar um pouco. As prioridades e necessidades são muito diferentes, ao ponto que, às vezes, é incompatível coordenar perfis de público tão distintos. Alguns produtos são transversais, mas boa parte não é. Precisamos entender esse comportamento para adequar a formatação de produtos.”, alertou Vaniza.

Assim, ela definiu o turismo de negócios e eventos no acrônimo MICE: Meetings (reuniões), Incentive (incentivo), Conferences (conferências) e Exhibitions (exposições). Seus pilares são a motivação da visita superior ao simples desejo de ir e vir, a intolerância à informalidade na prestação do serviço e o aproveitamento turístico limitado, porém, com gasto na cidade mais elevado.

Como transformar destinos inteligentes

Estendendo-se por todo o dia, o ‘Seminário Cenários e Oportunidades do Turismo de Negócios e Eventos' contou com o ex-presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, como um de seus palestrantes. À frente do tema ‘Turismo Inteligente - como agregar tecnologia e relacionamento para criar destinos turísticos inteligentes e potencializar a economia local’, ele reconheceu que Alagoas já é um destino muito forte para Sol e Praia, mas quis lançar provocações sobre como seria possível juntar isso a uma proposta de turismo que emprega muitas pessoas.

“Um primeiro ponto é a governança, a relação entre o poder público, entes privados, o Convention e as entidades parceiras, em como eles fazem a administração de um território, porque um destino não é sozinho, é preciso um conjunto para fazer com que ele seja enxergado como um destino. A segunda questão é a tecnologia. Hoje, você não fala de competitividade se não tiver banda larga, Wi-Fi e se as pessoas não estiverem conectadas. Esse turista é muito mais exigente e tem muito mais pressa, então é preciso lidar com essa nova cultura que tem a ver com tecnologia,”, destacou Barreto.

Completando sua linha de pensamento, o ex-presidente do Sebrae apontou que a sustentabilidade é um terceiro quesito a se considerar, do ponto de vista ambiental, social e econômico. E, por fim, a boa e velha experiência turística, comum a todos os tipos de viajantes. “Hoje, o turista tem muita informação e não tem fronteira. Ele entra na internet e já sabe de tudo, compara tudo. Então, como eu proporciono uma experiência única, customizada, a essa pessoa? São pontos a se considerar para quem quer ter um destino inteligente.”, arrematou Barreto.

fonte: Agência Sebrae Alagoas



Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.