OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 27 de junho de 2022

Colunistas

Saúde em Foco, com Roberto Barros Saúde em Foco, com Roberto Barros
Nutricionista Clínico e Esportivo Profissional de Educação Física Especialista em Fisiologia do Esforço
05/04/2022 às 20:11

Síndrome do pescoço de texto ou "text neck", será que você tem?

A figura 1 expressa o agravante das tensões recebidas na região cervical da coluna mediante a inclinação que é exercida para visualizar o smartphone.

A Síndrome do Pescoço de Texto é uma epidemia que provoca a cervicalgia (dores na região cervical), comprometendo estruturas como disco intervetebral aumentando a prevalência de desenvolver hérnia nessa região (cervical 7) e podendo desenvolver também nas regiões lombares.

Uma publicação bem recente de (David D, 2021) relata o peso aumentado conforme a inclinação do pescoço ou flexão para frente e para baixo. Aumentando em 440% o peso do crânio (5kg em adultos), ou seja, se um adulto usar o smartphone por 6 horas a força contínua pode chegar a quase 3 toneladas.

Os pais têm que aumentar o cuidado na postura das suas crianças observando como eles usam essas tecnologias móveis a fim de não desenvolver essa síndrome que prejudicarão bastante na vida adulta.

É preciso colocar uma rotina no manuseio dessas tecnologias para crianças e jovens e criar um controle de tempo de uso a fim de prevenir adultos com a cervicalgia ou até mesmo patologias decorrentes das tensões exercidas nas estruturas superiores da coluna vertebral que poderá ter também, como consequência, danos as estruturas inferiores da coluna.

RELATO DE CASO

  Esse relato de caso foi citado por (David D, 2021), veja abaixo:

  “Uma menina de 16 anos foi admitida em uma unidade pediátrica por um histórico médico de cefaleia, tontura e dor cervical aguda. A sintomatologia referida foi cefaleia, vertigem subjetiva e ataxia. Não foram referidos febre ou trauma. Os exames de sangue (hemograma completo com fórmula, função hepato-renal, índices de inflamação e níveis de beta-HCG) resultaram na faixa de normalidade. O exame oftalmológico deu negativo. O exame otorrinolaringológico excluiu a patologia vestibular. A síndrome medular foi considerada pelo neurologista.

Uma ressonância magnética (ressonância magnética) da coluna cervical foi obtida. Este exame mostrou uma inversão da lordose cervical fisiológica e protrusão discal posterior no nível C4–C5.

A hipótese de síndrome do pescoço de texto foi feita. A menina era estudante do ensino médio, descreveu uma rotina diária de quase 6 h/dia empenhada em estudar...”

 A importância da prevenção é o melhor cuidado para futuras dores cervicais ou sintomas como foi apresentado nessa adolescente do relato de caso.

  Veja que esse desconforto prejudica muito os estudos e possivelmente será um profissional com patologias chamado de DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho) aumentando a ausência ao trabalho.

COMO PREVENIR A SÍNDROME DO PESCOÇO DE TEXTO

Como profissional de educação física e nutricionista você deve está pensando que eu iria recomendar exercícios físicos como treinamento de resistência (musculação), flexibilidade, alongamento e exercícios específicos para o fortalecimento dessa região. Eu diria que seria secundário essa prevenção, entretanto importantíssimo também.

O principal, na minha opinião, é melhorar a autoestima das crianças e dos jovens. Sabemos que a depressão tem como consequência posturas inadequadas como resposta ao estado psicológico (os ombros protusos, pescoço para frente e inclinado para baixo) (Hestbaek, LDC, et al 2006). Com o smartphone torna tudo mais difícil devido a dependência das redes sociais. Por isso que é fundamental a procura de um profissional de psicologia e/ou psiquiatra e/ou psicopedagogos para analisar comportamentos nessa faixa etária.

  Outro profissional importante seria o fisioterapêuta seja na área de RPG ou PILATES ou em recuperação da síndrome já instalada mediante aos resultados colhidos pelo fisiatra ou reumatologista.

  Os profissionais de educação física, por sua vez, realizarão exercícios de prevenção com o fortalecimento dessa região até mesmo em aulas de educação física, seja a prática seja na teoria com atividades dinâmicas e produtivas criando ambiente educativo e duradouro para futuros adultos sem essas patologias estruturas.

PRINCIPAIS CAUSAS DA SÍNDROME “TEXT NECK”

  Na realidade estamos falando aqui de uma epidemia que trará resultados desastrosos para futuros adultos com essa febre de smartphones, tablets, computados associado com a má postura de crianças e adolescentes.

Entre as principais causas são:

- Achatamento da curva espinhal

- Degeneração espinhal

- Danos musculares

- Perda de capacidade de volume pulmonar

- Início de Artrite precoce

- Desalinhamento da coluna vertebral

- Compressão de disco

- Dano do nervo

- Problema gastrointestinal

- Formigamento nos braços e mãos

  Além desses, ainda poderia ressaltar o fator psicológico que a má postura pode potencializar no comportamento desses jovens (Dael, N. et al, 2012), esse como outros estudos demonstraram que a depressão cria uma tendência da protusão dos ombros, a flexão do pescoço e cabeça (cifose).

CONCLUSÃO

  Essa epidemia pode atingir 75% dos adultos (Hestbaek, LDC, et al 2006) sem a atenção da infância sobre a postura e hábitos errados nessa fase.

Um outro fator importante para mensurar é a prevalência de crianças e adolescentes irritadiços em virtude das dores e desconfortos provocados pelo excesso do uso dos smartphones, outros dispositivos móveis associado com a má postura.

  A prevenção seja no limite do uso da tecnologia móvel, seja pelo cuidado e atenção sobre a postura diariamente pode ajudar no combate dessa síndrome.

  É importante que os pais fiquem atentos sobre o que é recomendado sobre o início dos smartphones na infância, o tempo de uso e a preocupação constante sobre a postura. Bem como exercícios físicos adaptados para o fortalecimento e alongamento dos músculos envolvidos.

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2022 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.