OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 20 de agosto de 2018

Agronegócios

07/02/2018 às 12:00

Governo e Embrapa apresentam projeto de instalação de unidade em Alagoas

Instalação da unidade de pesquisa no Estado deverá alavancar o desenvolvimento da agricultura alagoana, aproximando o setor aos setores do turismo e gastronomia Instalação da unidade de pesquisa no Estado deverá alavancar o desenvolvimento da agricultura alagoana, aproximando o setor aos setores do turismo e gastronomia

Petrônio Viana

O Governo de Alagoas e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apresentam nesta quinta-feira (8), no Palácio República dos Palmares, o projeto de instalação da Unidade de Pesquisa Agroalimentar de Alagoas.

Resultado dos esforços do governador Renan Filho junto ao governo federal, a instalação da unidade de pesquisa no Estado deverá alavancar o desenvolvimento da agricultura alagoana, aproximando o setor aos setores do turismo e gastronomia.

A instalação da unidade de pesquisa em Alagoas foi reivindicada pelo governador Renan Filho em 2015 e aprovada pelo governo federal em fevereiro de 2016. No mesmo mês, uma comissão de pesquisadores da Embrapa  foi enviada ao Estado para realizar um estudo sobre as potencialidades a serem exploradas pela empresa. Uma das premissas adotadas pela comissão foi a tendência de mercado global, observada nas cinco maiores economias do mundo, com a demanda por alimentos funcionais, ou seja, aqueles enriquecidos com aditivos – como vitaminas, fibras e minerais dietéticos – que contribuem para a manutenção da saúde e a redução de risco de doenças.

De acordo com o secretário Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Antônio Santiago, a ideia é tornar o Estado um polo de desenvolvimento tecnológico a partir de um centro de excelência em pesquisa.

“A unidade da Embrapa em Alagoas terá uma visão diferente das demais instaladas no país. Ela vai identificar produções territoriais como a pimenta vermelha, a mandioca e a própolis vermelha e agregar valor a essas produções com um elo com o turismo e a gastronomia, atividades onde o Estado de Alagoas já tem bastante destaque. A cana de açúcar não ficará de fora. Vamos desenvolver novos produtores a partir dela, como o plástico verde, aumentando o leque de alternativas para o setor”, explicou o secretário.

Entre os produtos identificados em Alagoas pela comissão da Embrapa durante esse estudo está a fécula da mandioca, um carboidrato sem glúten que pode atender a mercados da América do Norte e Europa, além da água e a carne de coco, extremamente nutritivos e que se configuram como isotônicos naturais, também com mercado garantido.

“O projeto da Embrapa em Alagoas vai trabalhar principalmente a questão da melhoria da nutrição humana a partir de alimentos diferenciados, com teores maiores de proteína, por exemplo, associado à força do turismo. Teremos aqui uma equipe de pesquisadores que vai gerar conhecimento no Estado, atendendo às demandas dos nossos agricultores, auxiliando a agroindústria e as universidades e contribuindo imensamente para o desenvolvimento de Alagoas”, disse Santiago.

Atualmente, a Embrapa opera em Alagoas a partir de uma unidade de Execução e Pesquisa (UPE) vinculada à Embrapa Tabuleiros Costeiros, com sede em Sergipe. “Essa UEP exerce um trabalho muito importante, mas sua área de atuação só vai até o município de Palmeira dos Índios. Com a unidade de pesquisa, vamos abranger todo o Estado, desde o Baixo São Francisco até o Litoral Norte, passando pelo Sertão, Agreste e Zona da Mata”, comemorou o secretário de Agricultura.

A apresentação do projeto de instalação acontece a partir das 10h desta quinta-feira (8), no auditório Aqualtune, no Palácio República dos Palmares. Ela será conduzida pelo pesquisador da Embrapa em Brasília João Flávio Veloso, responsável pelo gerenciamento dos estudos feitos em Alagoas. 

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2018 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.