OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 20 de janeiro de 2020

Artigos

01/11/2019 às 09:35

A redação no ENEM 2019: aprender, desaprender e reaprender

Sandro Melros - é professor de redação
Instagram: @sandromelros 
@lugares_da_literatura

Vive-se uma lógica tecnológica cuja rapidez torna-se condição determinante ao desenvolvimento da sociedade. Com isso, há a necessidade imperativa de rápidas interlocuções. Nesse sentido, a capacidade de ler e escrever com clareza tem assumido um perfil desafiador ante os desafios de se fazer compreender com facilidade. Aliás, trata-se de um movimento inadiável atualizar-se na linguagem da tecnologia. Em pouco tempo aquilo que se aprendeu, logo estará ultrapassado e, assim, refaz-se cotidianamente o conhecimento.

Essa celeridade estará expressa nas redações do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM 2019, posto que grande parte dos candidatos nascera no Século XXI, marcado pela informação que circula com grande velocidade no mundo inteiro. Não há espaço para retorno, assim como não existe motivo para não estar inserido nesse novo momento da aprendizagem. A provocação, contudo, sempre está em dizer muito, escrevendo-se pouco.

As gerações anteriores precisam entender que neste momento de tantas e tão distintas informações escrever menos é o ideal a fim de que se possa ter acesso a outros assuntos, visto que a curiosidade é inerente ao indivíduo. Portanto, quer-se acessar o maior número de conteúdos. A relevância, neste caso, é de natureza relativa. O mais importante confirma-se na liberdade em poder ler escrever o que se acredita ser essencial. Isso é o que se identifica, por exemplo, no uso das redes sociais, por exemplo, que se configuram como uma verdadeira revolução na comunicação. Os grupos de wathsapp têm sido usados, inclusive, como ferramentas ágeis à comunicação apta a estudos, trabalhos, lazer, justiça, entre outras situações do dia a dia de todos.

Na escrita do texto dissertativo-argumentativo – tipo de redação prevista no ENEM – entender-se á que existirão momentos de divagação, de insegurança e de tensão ante o tema proposto. Nas sábias palavras de Mário de Andrade, pode-se escrever sem pensar tudo aquilo que inconsciente grita para, depois, pensando, não só corrigir, mas também a fim de justificar o que se escreve. Por isso, no exame aludido, há a possibilidade de se fazer um rascunho – portanto, um texto anterior – para, logo em seguida, colocar na folha definitiva.

Rever a maneira como se escreve passou a ser uma necessidade da sociedade atual, tendo em vista que nada está terminado, não há nenhuma ideia que não seja rapidamente modificada através das infinitas possibilidades de criação do indivíduo. Redigir atualmente tem sido uma oportunidade de unir a rapidez à criatividade. Fazer-se compreender exige habilidades que são mudadas ao longo do tempo. Hoje, a linguagem reverbera um conhecimento que oportuniza mudanças, novidades e intensas possibilidades. Nesse intento, deve-se por redigir textos com organização, clareza, concisão, coerência e que demonstrem bom domínio do português formal no ENEM.

Permite-se, assim, que o candidato, ao escrever a redação do ENEM, pondere entre a sua formação escolar e seu conhecimento de mundo. Nesse sentido, cabe julgar que o que aprendera será integralmente utilizado em sua escrita. Assim, sua escrita representa o seu cotidiano tão apenas. A criatividade e a originalidade de seu texto será julgada, além do conhecimento adquirido ao longo de sua vida escolar. Com denodo, há que se render à possibilidade de uma escrita formal, mas ajuizada por um conteúdo que o candidato tenha plena segurança em executá-la. À sociedade em geral, cabe perceber que as mudanças de comportamento interferem na linguagem. Deste modo, a todos é dada a condição de se modernizarem, através de capacitação em tecnologia da informação, posto que ser autodidata configura-se em risco de não compreenderem bem o que os cerca.

Atenção candidatos ao ENEM 2019:

Tal qual o texto acima, a redação deve ser escrita em prosa, ou seja, não é permitido escrever poemas. Além disso, ela tem que ter um texto dissertativo-argumentativo, qual seja aquele no qual o produtor desenvolve um raciocínio a partir de uma tese. Nesse fim, podem-se usar depoimentos, citações, estatísticas, dados, tudo isso, com fim de convencimento - justificativa.

O candidato cuja letra cursiva for ilegível pode escrever em letra de forma, sem problema algum. Também é preciso respeitar a margem e ter cuidado com a adequada separação de sílabas.

Atente-se que se está escrevendo para um leitor – avaliador – e não para si próprio apenas. Então, pense na melhor informação que se deseja passar a alguém que não te conhece e que julgará apenas o texto , de forma técnica e com um trato impecável, posto que serão 02 (dois) avaliadores corrigindo cada uma das redações, de forma independente, ou seja, um sequer conhece e/ou influencia no julgamento do outro.

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2020 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.