OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 18 de julho de 2019

Cultura

07/04/2019 às 14:28

Núcleo de Percussão apresenta 'O pandeiro no choro'

Simoneide Araújo - jornalista colaboradora

O Espaço Cultural da Universidade Federal de Alagoas abre alas para o som do pandeiro passar. E quem vai comandar o cortejo é Flora Milito, do Rio de Janeiro, convidada pelo Núcleo de Percussão da Ufal para a master class O pandeiro no choro. Será na próxima segunda, 8 de abril, às 13h, e a entrada é gratuita. É só chegar e aproveitar a experiência dessa profissional que atua nas áreas de choro, samba canção e música instrumental, em diversas frentes de trabalho. A trajetória artística de Flora é bem recheada e se você gosta de percussão, seja homem ou mulher, aproveita essa oportunidade!

Para Augusto Moralez, coordenador do NUP e professor da Escola Técnica de Artes, a ideia de trazer Flora Milito é mostrar que mulher também pode tocar percussão e incentivar as alagoanas. “Uma coisa que tenho percebido aqui em Alagoas é que dificilmente vemos mulheres na percussão, com exceção dos grupos de manifestações culturais de classe média. Mas não vemos nenhuma mulher no bumba-meu-boi, nas escolas de samba nem nas manifestações culturais percussivas da periferia. E a Flora vem trazer esse contraponto, demonstrar que existe, sim, mulher na percussão”, declarou.

Natural de Franca-SP, Flora estudou bateria no curso de MPB/Jazz e Percussão no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí–SP entre os anos de 2005 e 2009. Lá, bolsista dos grupos da instituição e tocou profissionalmente em diversas formações na área do choro, do samba e da música instrumental. Em 2010, mudou-se para a capital carioca e formou-se bacharel em Percussão pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2015, onde, atualmente, cursa mestrado em música.

Sua mudança para o Rio foi para aprofundar o estudo do pandeiro no samba e no choro, suas raízes e vertentes por meio do contato com os músicos tradicionais das chamadas “velhas guardas”. Chegou a participar de grupos, rodas e encontros e, com isso, teve a oportunidade de tocar ao lado de músicos como Siqueira [cavaco], Válter Silva, Valdir Silva, Luciana Rabello, Maurício Carrilho, Zé Luiz do Império, alguns representantes da Velha Guarda da Portela, entre outros. Frequentou a Escola Portátil de Música durante seis meses, assistindo aulas com Oscar Bolão, Jorginho do Pandeiro e Pedro Amorim.

Na UFRJ, Flora fez parte do Grupo de Percussão, da Banda Sinfônica e da Orquestra Sinfônica. Com esta última foi timpanista na ópera Dom Quixote nas Bodas de Comacho, de Telemann, em abril de 2011, e Cosi fan tutti, de Mozart, em julho de 2012, ambas com récitas na capital, Campos e Petrópolis. Ela também trabalhou na Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) e na Orquestra Sinfônica da Petrobrás, inclusive na ópera O amor das Três Laranjas, de Sergei Prokofiev, no Teatro Municipal, regida pelo maestro Isaac Karabtchevsky. Foi convidada como percussionista pelo violonista Marco Pereira, à frente da mesma orquestra, para apresentar obras de seu disco Camerístico, no teatro Oi Casa Grande, em outubro de 2011.

Entre 2014 e 2015, a artista trabalhou no acervo de partituras do Instituto Casa do Choro, catalogando e digitalizando suas milhares de obras, que foram disponibilizadas na internet. Em 2017 gravou o disco Meia Volta, da cantora Luísa Lacerda e do compositor Miguel Rabello, com direção musical de Cristóvão Bastos, gravado e lançado pela Casa do Choro, no Rio de Janeiro. Durante o ano de 2018 atuou como baterista da Orquestra de Sopros da Proarte.

SERVIÇO

O quê: master class O pandeiro no choro, com Flora Milito

Quando: 8 de abril, às 13h

Onde: na Sala do NUP, no Espaço Cultural da Ufal, na Praça Visconde de Sinimbu, Centro, Maceió-AL

Entrada gratuita

Comentários

crea-06e07
Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2019 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.