OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 11 de julho de 2020

Geral

04/06/2020 às 18:42

Os impactos da quarentena na vida a dois; veja dica da especialista

Psicóloga explica que convivência forçada pode desencadear diversos problemas no relacionamento de casais Psicóloga explica que convivência forçada pode desencadear diversos problemas no relacionamento de casais

A pandemia do novo coronavírus trouxe com ela o isolamento social e todas as dificuldades de ficar em casa 24 horas por dia. Para muitos dos casados, o número de brigas sobe e a convivência pode ficar complicada. Para se ter uma ideia, algumas cidades da China registraram um aumento significativo no número de pedidos de divórcio nas semanas seguintes à quarentena, segundo o jornal chinês The Global Times.

De acordo com Sabine Heumann, professora de Psicologia da UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Maceió Maceió, isso reflete a dificuldade que a convivência forçada pode trazer. “Esse momento faz as pessoas refletirem sobre pontos da vida que muitas vezes não percebiam. A partir dessa reflexão, elas podem optar por não seguirem mais juntas. Há muito a se pensar sobre esse cenário, mas também, por outro lado, os casais que conseguirem passar por esse momento e permanecerem unidos, tendem a ter um relacionamento mais forte e duradouro”, afirma a Psicóloga.

Gabriela Lamenha é advogada e, há um ano, namora o também advogado Roberto Moura. Quatro meses atrás eles começaram a morar juntos, revezando os apartamentos. Mas, há um mês e meio estão fixos no apartamento dela. Ambos estão trabalhando em home office e, segundo Gabriela, tem sido ótimo, apesar deles terem hábitos diferentes.

“Obviamente, existem algumas discussões. Porém, não conseguimos nos ver de outra forma, que não morando juntos e se fortalecendo durante o processo de pandemia. Tivemos momentos de estresse, principalmente pelo fato da sobrecarga de trabalho, que às vezes nos impossibilita de separar o profissional do pessoal dentro de casa, nos tornando propensos a discutir por besteira”, conta Gabriela.

A advogada confessa que o casal ainda não descobriu com evitar as brigas desnecessárias, mas, que sempre procuram se escutar e realizar, diariamente, programas de casal para que a casa não acabe sendo um ambiente de trabalho 24 horas por dia. “Dançamos, bebemos, fazemos atividade física, meditamos e temos o trabalho diário de compreender o momento do outro e como estamos com tudo isso”, diz.

Para a psicóloga, as relações que já tinham um desgaste anterior podem sofrer mais com a quarentena. “Se formos pensar bem, ninguém estava preparado para viver dessa forma. Muitos casais passavam por dificuldades nos relacionamento, mas acabavam não olhando para isso, não dando a atenção necessária e colocando “para baixo do tapete” as questões que precisavam ser conversadas. Com a convivência como está agora, a tendência é que essas coisas apareçam com mais força, o que pode tornar o relacionamento mais difícil”, explica.

Outra dificuldade, segunda a psicóloga é que, em geral, a rotina na quarentena envolve outras atividades, como cuidar da casa, dos filhos, da alimentação e, para uma parcela dos casais, trabalhar em home office. Então, além de conviver 24 horas por dia, os casais ainda estão com várias preocupações, ansiedade e medos, o que pode dificultar ainda mais essa convivência.

Sinais de problema na relação

As brigas, sem dúvida, são um indicador de que algo não está bem. Mas, de acordo com a professora de Psicologia da UNINASSAU Maceió, é importante perceber também se há um afastamento na relação. “Muitas vezes, a falta de paciência e de crença de que o relacionamento pode funcionar melhor faz com que as duas partes do casal acabem se afastando, o que pode gerar um relacionamento de “dois estranhos”. Então, se o casal não tem interesse em estar unido, compartilhando coisas do dia, perguntando como o outro está, é muito provável que a relação não esteja bem”, pontua.

Para ajudar casais que possam estar passando por dificuldade na convivência, a psicóloga Sabine Heumann deixa algumas dicas:

• Muitos casais entendem que, por estarem juntos nesse momento, devem fazer tudo juntos, e isso vai gerando pontos de atrito por questões menores, que não são necessárias. Uma atitude benéfica é tentar manter algum grau de individualidade. Sabemos que é difícil fazer isso estando 100% do tempo com a pessoa, mas, é importante manter atividades individuais, como ver um filme, séries ou qualquer outra atividade que não envolva a outra pessoa.Isso acaba oxigenando um pouco mais a relação.

• Outro ponto importante é trabalhar as questões que estão incomodando. Talvez esse seja um momento interessante de fortalecer uma relação, já que são maiores as oportunidades de conversa e interação. Um relacionamento envolve muita comunicação das duas partes, expressão dos sentimentos, dos incômodos, dos pensamentos, e muitos casais pecam nesse ponto. É muito importante para a relação e, principalmente em momentos de dificuldade como o que estamos vivendo, saber que podemos contar com a outra pessoa, conversar com ela, se expressar.

• Outra opção que pode ajudar a enfrentar essas dificuldades é a terapia de casal. Agora, durante a quarentena, ela pode ser feita on-line.

Por fim, Sabine salienta que assim como a quarenta pode despertar problemas na relação, também pode ser um momento de maior conexão. “O que estamos vivendo é novo e intenso. Ainda não sabemos como serão as coisas depois, mas, em momentos de grandes dificuldades um casal pode se afastar ainda mais, olhar para as coisas que não funcionam e “tirar de baixo do tapete”. Por outro lado, esse momento também pode servir para unir um casal. Tudo depende muito de como as coisas estavam antes da quarentena e como os dois vão lindando com o que está acontecendo agora”, conclui.




Ascom Uninassau Maceió


Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2020 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.