OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 30 de setembro de 2020

Maceió

22/05/2020 às 14:15

Minha Máscara: projeto cria alternativa de renda para artesãos durante pandemia

Vendas têm ajudado famílias durante o isolamento social Vendas têm ajudado famílias durante o isolamento social

Luís Otávio Mendonça (estagiário)

Produzir máscaras para vender tornou-se um dos meios de gerar renda para centenas de pessoas em Maceió. Atuando conjuntamente, o Gabinete da Governança da Prefeitura de Maceió (GGOV), a Secretaria Municipal de Economia (Semec) e a Secretaria Municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes) desenvolveram o Projeto Minha Máscara. A iniciativa tem como objetivo mapear artesãos e costureiras do Município que produzem máscaras de tecido e facilitar a identificação deles para a venda desses produtos, principalmente, dentro da própria comunidade, de forma segura.

O projeto já está em vigor e o mapa com os profissionais cadastrados pode ser acessado tanto pelo smartphone como pelo computador clicando aqui.  O usuário deve clicar no ícone verde que estiver mais próximo ao bairro que reside. Feito isso, ele será informado com o nome e o contato do artesão. “O Minha Máscara é um projeto que foi idealizado pelas três secretarias como forma de incentivar o empreendedorismo e o desenvolvimento econômico no Município, em um período onde, devido às medidas de isolamento, as compras de produtos artesanais estão em baixa. Além dos profissionais que já trabalham com isso e que dependem do artesanato, muitas pessoas recorrem a essa alternativa como um meio de complementar a renda. A Semec tem um compromisso com o incentivo ao desenvolvimento econômico e ao empreendedorismo e esta é mais uma de nossas ações”, explicou Emerson Amâncio, coordenador do Setor de Empreendedorismo da Semec.

A artesã Maria Lúcia de Oliveira, que mora no bairro de Jacarecica, contou que trabalha com artesanato há três anos e que viu na produção de máscaras a oportunidade de complementar a renda durante essa quarentena. “Soube deste projeto através de uma outra artesã e decidi me cadastrar. Tenho atendido muitas encomendas e as vendas têm aumentado graças a esse mapeamento. Além da segurança com a saúde, que é muito importante, eu vejo essa iniciativa também como uma forma de colocar esse tipo de empreendimento e esses profissionais em evidência e ajudar as famílias dos artesãos e costureiros dessa região”, disse.

De acordo com Íria Almeida, secretária do Gabinete de Governança da Prefeitura de Maceió, a ideia partiu do princípio de conectar as mulheres da Economia Solidária com o cidadão que precisa de máscaras.

Íria Almeida – Secretária de Governança. Foto: Arquivo/Secom Maceió


“Com o isolamento, o ideal é que as pessoas saiam de casa o menos possível, e saber onde encontrar máscaras acaba facilitando o cumprimento dos decretos estaduais e Municipais. O mapeamento surge como ferramenta que tornou possível esta solução. É importante ressaltar que uma solução inovadora não tem a tecnologia como fim, mas sim como um meio de atuar de maneira eficiente na vida do cidadão”, destacou a secretária.

Sobre as máscaras

O uso de máscaras é umas das medidas de proteção recomendadas para que se evite o contágio pelo novo coronavírus. No entanto, as máscaras precisam atender padrões estabelecidos pelo Ministério da Saúde como, por exemplo, cobrir a região do nariz e a boca e estarem perfeitamente ajustadas ao rosto de quem as utiliza, sem espaços nas laterais.

Também recomenda-se que o uso seja individual e que as máscaras de tecido, como as produzidas pelos artesãos do Minha Máscara, sejam trocadas com frequência, sempre que fiquem úmidas e a cada duas horas de uso, além de lavadas corretamente com água e sabão. Outra opção é deixá-la de molho em um recipiente com uma solução de meio litro de água e 10ml de água sanitária para esterilização.


Ascom Semec


Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2020 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.