OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 20 de outubro de 2019

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
17/06/2019 às 20:15

Missão China: uma viagem xing ling e sem futuro, paga com dinheiro público

Um dos assuntos mais comentados nas últimas semanas é a viagem de uma turma de alagoanos para a China. A promessa (ah... a promessa) é de prosperidade para Alagoas.

Ao que parece, a viagem comandada pelo governador Renan Filho não passa de mais uma viagem mirabolante do rei das ordens de serviço, que precisam começar e terminar. 

Sobre a Missão China, algumas considerações precisam ficar claras para o povo alagoano e o Ministério Público.

Vamos às principais pautas, já anunciadas pelo governador.

VLT
Renan Filho quer buscar soluções para mobilidade urbana da capital. Só que o VLT já está atuando, tem linha com 34 km de extensão, transporta 11 mil passageiros por dia e possui 15 estações.

Outro detalhe é que o Estado não pode versar sobre o caso. Pelo Plano Nacional de Mobilidade Urbana a competência é municipal. Ao Estado compete atuar em transportes da região metropolitana. Mas o chefe da delegação, Rafael Brito, falou em ampliar dentro de Maceió.

Então, vale perguntar: A CBTU foi convidada para a Missão? A SMTT/Prefeitura de Maceió também será convidada?

ENERGIA SOLAR
Existem dois fatores. O primeiro é que no Polo de Marechal Deodoro há a empresa alagoana PureEnergy. Se o govenador quiser ir de carro, são 20 km a partir do Palácio. De helicóptero algo em torno de 3 minutos.

Será que vale importar painéis chineses ou é mais prudente fomentar a produção local?

Lembrete: A Pure Energy produziu o primeiro painel de energia solar do Nordeste em 2 de fevereiro de 2017.

ALGÁS
O Estado é sócio com a Petrobras e Mitsui. Com a saída da Braskem teremos excesso de oferta de energia a gás. Mas como justificar o Estado buscar outra matriz na China, em detrimento da produção local por gás. Muito mais agora com a descoberta da Petrobras de um ‘novo pré-sal’ na área Sergipe/Alagoas. Não precisa ser economista para saber que a Algás terá investimentos e a energia a gás será cada vez mais abundante.

PORTO DE MACEIÓ
O secretário de Infraestrutura, Mauricio Quintella, foi ministro dos Transportes por quase 2 anos. Nunca esteve na agenda do Governo Estadual debater o Porto de Maceió com o Ministério dos Transportes, Portos e Aeroportos. Apenas na dragagem do Porto, uma ação dos ministros Quintella e Marx, que tentavam melhorar o cais de atracamento de cruzeiros turísticos em Maceió, sem envolvimento nem ação do governo estadual.

Vale perguntar se algum membro do Governo Federal, Ministério ou Companhia Docas, do Rio Grande do Norte, que administra o Porto de Maceió, foi convidado para a Missão.

Outro ponto interessante é: Por que levar 4 secretárias de gabinete do governador? Será que é para tirar foto para o Instagram? Não justifica, porque têm diretores e superintendentes que fazem função técnica muito mais importante que as secretárias do governador.

É ou não é uma viagem xing ling, essa viagem do governador?

#viagemxingling

Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2019 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.