OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 28 de outubro de 2020

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
15/10/2020 às 07:55

Campanhas na capital aderem ao modelo Tracking Eleitoral

Os estrategistas das principais campanhas na capital estão seguindo a mesma metodologia para chegar ao mesmo lugar: a prefeitura de Maceió.

Os números do Data Sensus, Ibope e Paraná Pesquisas servem para nortear o eleitorado. Há quem duvide dos números alegando interesses escusos. Foi o que aconteceu com o alagoano Data Sensus, primeiro instituto a confirmar o empate técnico entre Alfredo Gaspar e JHC, com Cícero Almeida em terceiro e Davi Davino Filho em quarto. Antes da divulgação, devidamente registrada no TRE-AL, as coligações arrotavam números – aí, sim – fictícios. Boa, Data Sensus.

Aí vieram os números do Ibope e Paraná Pesquisas, institutos com abrangência nacional etc e tal. Nada de novo, a não ser a reclamação de algumas candidaturas porque as entrevistas foram feitas por telefone.

No meio desse imbróglio uma certeza: Alfredo Gaspar, Davi Davino Filho e JHC sabem com precisão como estão as respectivas campanhas. Suas estruturas estão sendo acompanhadas diariamente com amostras do modelo Tracking Eleitoral, modal de curta periodicidade que possui o mesmo desenho metodológico de um survey tradicional, mas com uma leitura dinâmica do panorama eleitoral, com resultados atualizados diariamente ou semanalmente. Essa modalidade de levantamento é altamente recomendada como dispositivo de medição de movimentos de curto prazo. Assim é possível intervenções rápidas e redirecionamentos estratégicos por parte do núcleo duro da campanha.

Portanto, Alfredo Gaspar, Davi Davino Filho e JHC levam ainda mais vantagem para chegar ao segundo turno. Cícero Almeida não tem essa estrutura, mas conta com o recall dos feitos como prefeito reeleito e aprovação no final dos dois mandatos superior a 80%.

A matemática é simples: 11 disputam a vaga de Rui, 4 brigam pelas duas vagas no segundo turno e apenas 3 têm estruturas profissionais. Mesmo o eleitor de Maceió sendo rebelde é difícil fugir das previsões.

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2020 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.