OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 23 de junho de 2024

Notícias

24/05/2024 às 15:34

Como o crédito pode potencializar o crescimento das empresas

Adilson Seixas - especialista em crédito empresarial e fundador e CEO - LOARA - Referência em Crédito para Empresas Adilson Seixas - especialista em crédito empresarial e fundador e CEO - LOARA - Referência em Crédito para Empresas

Um ambiente empresarial fortalecido é determinante para o progresso econômico dos países e, em se tratando da realidade brasileira, alguns ventos positivos se anunciam para 2024, período que pode ser crucial para a retomada definitiva das organizações neste ainda recente período de pós-pandemia e, consequentemente, para a definição de estratégias mais arrojadas de expansão.

Recentemente, por exemplo, os economistas do mercado financeiro elevaram a projeção de crescimento econômico do país para 1,89%, na edição de abril do Relatório Focus (na estimativa de início de ano, o PIB estava na casa de 1,52%).

Outro ponto importante é a sequência dos cortes na Taxa Selic, que em março atingiu a casa de 10,75%. Tal fato, além de estimular o consumo das famílias – e, por conseguinte, aquecer o varejo e outros setores do ambiente de negócios do país – tem um papel mais do que decisivo para o impulso do mercado de crédito.

Depois de um 2023 desafiador, o segmento de crédito segue, enfim, com boas expectativas de expansão mais consistentes, com projeção de crescimento da carteira na casa de 8,5% para 2024, segundo a última Pesquisa Febraban de Economia Bancária e ante os 6,9% apresentados no passado.

O estudo também mostra aumentos da carteira livre de crédito e da carteira direcionada em 2024. Em síntese, o mercado vê um cenário mais positivo que, por sua vez, tem impactos diretos na realidade das empresas do país.

Mas por que um ambiente de crédito saudável é importante para as organizações?

A primeira explicação é macroeconômica: geralmente, em países de economias robustas, a oferta de crédito doméstico ao setor privado atinge uma margem muito expressiva do PIB, ao contrário do que ocorre, aliás, hoje no Brasil, país no qual, essencialmente, as instituições financeiras adotam políticas de crédito mais conservadoras.

Assim, há uma relação bastante objetiva entre o volume do crédito disponível no mercado e a expansão da atividade econômica e empresarial de um país.

O segundo ponto se relaciona com a gestão interna e planejamento estratégico das empresas: a partir do dinheiro adquirido em linhas de crédito de bancos, fintechs e instituições financeiras, os negócios podem investir em processos de expansão, compra de maquinário, tecnologia, reforço do fluxo de caixa e contratação de mão de obra.

Ou seja: estamos falando de um impulso fundamental que beneficia diferentes cadeias produtivas e sociais (do fornecedor de insumos, serviços e tecnologia; ao consumidor que poderá ter acesso a produtos de melhor qualidade; passando pelo profissional que busca oportunidades no mercado).

Desafios, oportunidades e intermediação


Mas a conquista de uma linha de crédito de qualidade no Brasil – mesmo com a estabilização das políticas econômicas e das medidas de estímulo ao crédito que conduzem para uma melhora geral do ambiente – pode ser um desafio para as empresas dado o supracitado contexto de maior controle, por parte dos bancos, na liberação de capital expressivo para os negócios do país.

Sobre esse contexto, dados do Sebrae apontam que apenas 3 em cada 10 empreendedores conseguem acesso a linhas de crédito empresarial no Brasil. Isso porque, dentre outras razões, trata-se de um ambiente ainda burocrático, com exigência excessiva de garantias e taxas de juros que, muitas vezes, são inviáveis para a realidade, sobretudo, de negócios de menor porte e escala.

Tais desafios, no entanto, têm soluções. O primeiro passo para uma negociação bem-sucedida na busca de uma linha de crédito de qualidade diz respeito à elaboração de um planejamento que oriente o empresário no seu processo para a tomada de um empréstimo.

É essencial, nesse sentido, estabelecer os objetivos daquela captação e, ainda, desenhar ações que possibilitem a sustentabilidade financeira de longo prazo da empresa. Em conjunto com esse processo de planejamento e organização, atualmente, o mercado dispõe da intermediação de crédito como uma via que une empresas e bancos com o objetivo de buscar as melhores oportunidades disponíveis de crédito no mercado – de acordo com o perfil de cada interessado.

Em outras palavras: a intermediação de crédito não só auxilia as empresas na superação de obstáculos; ela gera oportunidades para que uma captação atenda, de fato, suas demandas e lhe sirva de base para uma expansão consistente em 2024.

Traçar essa jornada pode ser a ponte que separa os negócios de sucesso daqueles que deixam escapar as chances de vencer. Qual a sua escolha?

Adilson Seixas -
especialista em crédito empresarial e fundador e CEO - LOARA - Referência em Crédito para Empresas.

Fonte: Assessoria

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.