OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 21 de julho de 2024

Notícias

08/10/2021 às 16:53

Alagoas é 2º Estado do nordeste que mais investe em ciências tecnologia

Um dos maiores investimentos do setor público está concentrado no Centro de Inovação do Polo Tecnológico   Ascom Secti Um dos maiores investimentos do setor público está concentrado no Centro de Inovação do Polo Tecnológico Ascom Secti

A ciência e a tecnologia (C&T) são dois pilares que contribuem, diretamente, para o bom desenvolvimento do Estado e para a melhoria da qualidade de vida da população, mostrando o quanto é importante e necessário que os governos façam investimentos continuados em políticas públicas destinadas a esses dois setores. Tendo em vista isso, o Governo de Alagoas, por meio dos órgãos que fomentam essas áreas - a Secretaria da Ciência, da Tecnologia e da Inovação (Secti) e a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeal) - tem investido fortemente em C&T, aumentando a competitividade, estimulando o desenvolvimento e posicionado Alagoas entre os Estados que mais investem dinheiro público em C&T no país.

De acordo com dados divulgados pelo Índice da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), de 2021, Alagoas é o segundo Estado do Nordeste que mais investe nesses dois setores, só ficando atrás do Piauí. No Brasil, ocupa a sexta colocação.

Um dos maiores investimentos do setor público, nessa área, está concentrado no Centro de Inovação do Polo Tecnológico (CIPT), localizado no bairro do Jaraguá. Com mais de R$ 18 milhões investidos, o CIPT tem o compromisso de promover o empreendedorismo e a inovação; é um ambiente para fortalecimento das empresas locais e atração de novos empreendimentos de base tecnológica voltadas para o desenvolvimento de soluções em tecnologia dos setores públicos, privados, universidades e centros de pesquisa.

Atualmente, abriga 17 empresas de base tecnológica – incluindo uma multinacional espanhola – além de parceiros como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/AL) e a Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes).

Ele possui 6.130 m² de área construída. São 42 salas para empresas de pequeno, médio e grande porte; três salas de reunião, sendo uma por andar; auditório para 330 pessoas, 92 vagas de estacionamento, dois galpões multiuso, seis salas destinadas a parceiros, quatro de informática e duas de treinamento.

Além do CIPT, bolsas de iniciação científica foram disponibilizadas para centenas de jovens estudantes da rede pública e privada de ensino, por meio da Feira de Ciências da Educação Básica de Alagoas (Experiment-AL), que aconteceu em três edições e tinha o propósito de estimular jovens cientistas a produzirem ciência e tecnologia, através das suas pesquisas.

Para o secretário da Secti, Silvio Bulhões, o crescimento de Alagoas nesse índice mostra o compromisso, cada vez maior, do Governo do Estado, em fomentar e garantir continuidade nessas áreas.

“Nosso cenário vem se transformando positivamente. Alagoas tem investido fortemente em programas de estímulo a produção tecnológica e inovadora, bolsas de pesquisa de mestrado, doutorado e iniciação científica, garantindo, não só o apoio inicial, mas dando suporte a continuidade dessas ações”, afirmou o secretário.

A Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), órgão vinculado à Secti, também compõem este investimento. Mensalmente, a Fapeal paga bolsas para a formação de pesquisadores, da iniciação científica júnior, no Ensino Médio, ao doutorado e financia os projetos de pesquisa em cursos nas universidades e centros universitários.

Neste segundo semestre de 2021,  estão em curso o Programa de Pesquisa para o SUS e o Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) – Parcerias Estratégicas nos Estados, sendo ambos parcerias federais, com contrapartida de recursos estaduais. Além disso, com recursos exclusivamente do Governo de Alagoas, a Fapeal está apoiando 11 revistas científicas vinculadas aos mestrados e doutorados locais.

Apenas os editais mencionados já significam um investimento de R$ 3,35 milhões através da Fundação. Também está previsto para dia 30 de outubro o edital da nova edição do programa Centelha, em que serão aplicados mais de R$ 660 mil em recursos do Tesouro Estadual para transformar ideias inovadoras nas 60 novas startups do estado. O valor total da chamada também contabilizará recursos da Finep e da Sudene.

Segundo o diretor-presidente da Fapeal, Fábio Guedes, esse resultado só ratifica o esforço que vem sendo feito pelo governador Renan Filho, durante esses anos para compensar o recuo dos investimentos em ciência, tecnologia e inovação feitos pelo Governo Federal.

“Aqui em Alagoas, nós democratizamos o acesso aos recursos públicos da Fapeal, através de mais de 75 editais, e também atendemos a toda comunidade científica acadêmica das instituições que possuem pesquisadores e que contam com programas de pós-graduação, a nível de mestrado e doutorado. O resultado desse índice demonstra que esse esforço valeu a pena. Isso resulta, também, em outros pontos positivos para o Estado como, por exemplo, a Ufal que ocupa a 16ª colocação no ranking de patentes do Instituto Nacional de Pesquisa Industrial e a 5ª colocação em patentes de programas de computação no mesmo Instituto”, ressaltou Fábio Guedes. 




Fonte: Agência Alagoas 

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.