OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 25 de novembro de 2020

Educação

25/03/2020 às 00:39

Coronavírus e alimentação: nutricionista esclarece dúvidas

Coordenadora de Nutrição da Uninassau Maceió explica que não existe um alimento que impeça a infecção Coordenadora de Nutrição da Uninassau Maceió explica que não existe um alimento que impeça a infecção

Com o aumento dos casos de Coronavírus (Covid-19) no Brasil, muitas “fake news” surgiram, inclusive, apontando alimentos que teriam o poder de impedir que as pessoas sejam infectadas pelo vírus. Além disso, muita gente passou a consumir vitamina C em larga escala, com o objetivo de fortalecer o corpo e impedir que o Covid-19 faça morada. Porém, de acordo com a coordenadora de Nutrição da UNINASSAU Maceió, Cristianni Gusmão, é necessário cautela.

“O Conselho Federal de Nutrição (CRN) emitiu uma nota alertando a população e os profissionais da área que, até o momento, não existe nenhuma comprovação de que algum alimento tem o poder de impedir a contaminação pelo Covid-19”, explica a docente.
A profissional explica que, em relação a alimentação, a recomendação é a de sempre: manter uma alimentação saudável. “Quando falamos em alimentação saudável estamos falando em variedade, moderação e qualidade. Isso garante nutrientes necessários para que o corpo funcione de forma adequada, prevenindo doenças como hipertensão e diabetes, que colocam seus portadores no grupo de risco. Porém, isso é algo que tem que ser feito a longo prazo, não é algo pontual”, salienta Cristianni.
Vitamina C
Segundo a coordenadora, aumentar a ingestão de vitamina C desesperadamente não é necessário, afinal, o que dá condições para o nosso corpo funcionar não é uma vitamina ou um mineral e, sim, o conjunto desses nutrientes.
“Nós temos uma necessidade diária de vitaminas e de todos os nutrientes. Para cada grupo etário, há uma recomendação nutricional, ou seja, não adianta super dosar vitamina C. Laranja, limão, acerola, goiaba e kiwi são algumas frutas ricas em vitamina C, mas, o que devemos nos perguntar é se estamos consumindo de forma correta no nosso dia a dia”, questiona Cristianni, frisando que um profissional da Nutrição pode orientar quanto ao consumo adequado.
Contaminação por alimentação
Até o momento, todos os relatos são de transmissão de uma pessoa para outra. Por este motivo todos devem se atentar às recomendações da OMS de cobrir o rosto quando for espirrar ou tossir, lavar sempre as mãos e utilizar álcool em gel 70%. Porém, também estão valendo as orientações de higienização correta dos alimentos, principalmente os consumidos crus, como frutas e vegetais.

“Lembrando que não adianta higienizar o alimento e não higienizar as mãos, ou vice e versa. Deixando claro que se preocupar com a higienização dos alimentos é uma tarefa de todos os dias, afinal, existem várias outras doenças. Frisando que é perigoso dividir alimentos, tendo em vista que o Covid-19 é transmitido através do contato humano. Ao dividir um alimento, pode haver troca de saliva”, orienta Cristianni.
A Nutricionista explica que algumas pessoas têm o hábito de higienizar frutas e verduras com vinagre. “Isso está errado. Para essa higienização o indicado é utilizar uma solução de hipoclorito de sódio ou água sanitária, seguindo sempre a orientação expressa na embalagem do produto comprado”, diz Cristianni.
HidrataçãoAinda de acordo com a coordenadora de Nutrição da UNINASSAU Maceió, a hidratação também é muito importante, pois nosso corpo é uma máquina, e como máquina ele precisa de suporte para um bom funcionamento. Então, além dos nutrientes, não podemos esquecer da água.

Ascom Uninassau Maceió


Comentários

TCE-extra
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2020 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.