OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 03 de agosto de 2021

Notícias

06/06/2021 às 20:52

Alunos de Arquitetura e Urbanismo criam perfis em redes sociais para divulgar informações sobre os bairros atingidos pela mineração da Braskem

Carlos Pinheiro

Os alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Tiradentes (Unit-AL) e Universidade Tiradentes (Unit-SE), criaram perfis nas redes socias para divulgar informações e propostas, acerca da tragédia que envolve os bairros atingidos pela mineração da Braskem, ao todo são 20 acadêmicos dos câmpus Alagoas e Sergipe. 

As ações fazem parte do projeto de extensão Resgate Maceió, que visa da maior visibilidade ao problema e engajar a população à causa. A Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes), e a comissão de Meio Ambiente e Urbanística da OAB Maceió, estão apoiando o projeto.

A ideia surgiu quando a disciplina Planejamento Urbano e Regional II elegeu o afundamento do solo dos bairros: Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto como objeto de estudo. Após analisarem aspectos como meio ambiente, segurança pública, mobilidade urbana, entre outros, os estudantes viram a necessidade de divulgar as informações coletadas. 

A professora doutora Melissa Mota Alcides, está coordenando o projeto, ela também é moradora do bairro Pinheiro e se diz muito contente pelo apoio da instituição e dos acadêmicos. “É uma satisfação saber que meus alunos abraçaram essa causa junto comigo, a intenção é trazer propostas para essas áreas degradadas e tentar contribuir para a disseminação da gravidade do problema”, expõe.

Uma das intervenções a ser proposta pelos alunos, é sobre as possíveis soluções para o reuso das áreas afetadas, levando em consideração o fenômeno da subsidência e lembrando que hoje, na atual conjuntura, as áreas são de propriedade da Braskem. Esses projetos e ideias podem servir como um pontapé para o início da ressignificação do problema, lamentável de fato, mas que precisa ser pensado dentro do âmbito do planejamento da cidade de Maceió.

A sergipana e aluna Yasmim Garcia mora em Itabaiana, interior do estado, ela é integrante do projeto e está participando de forma remota, Yasmim conta que não tinha dimensão do problema. “Eu fui passear na cidade de Maceió e não sabia da calamidade que está aquilo lá, para mim está sendo uma honra poder ajudar de alguma forma a sociedade alagoana”, exclamou orgulhosa.

*Links das redes sociais*

Facebook - https://m.facebook.com/Resgate-Macei%C3%B3-104118541847774/

Twitter - https://twitter.com/resgatemaceio?s=21

Tiktok - @resgatemaceio

Instagram - https://instagram.com/resgate.maceio?utm_medium=copy_link


Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2021 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.