OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 24 de abril de 2024

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
19/02/2024 às 07:32

O veredicto do juiz, no caso Murici

Ele tem 78 anos de idade e uma conduta profissional exemplar, como advogado e juiz de Direito. Uma decisão sua terá o poder de mudar os destinos de um lugar e "libertar" seus mais de 28 mil habitantes de um regime que sobrevive ao mesmo sistema desde 1º de janeiro de 1997. O juiz é Diógenes Tenório de Albuquerque e o caso diz respeito à sucessão eleitoral em Murici.

Disputar o pleito para governar Murici é o grande sonho do homem que, por mais de 40 anos como magistrado, mostrou que o certo e o errado são como água e óleo, por mais que muitos de seus pares insistam em misturá-los.

A novidade no Caso Murici, que trata da sucessão eleitoral no município dominado pelos Calheiros há 27 anos, tem novos e importantes detalhes que, a depender da interpretação do juiz (agora aposentado dos tribunais) certamente mudará o rumo da disputa.

O presidente da Câmara Federal, Arthur Lira, ao saber de novos detalhes do processo “eleitoral” já pediu elementos que estão sendo juntados e analisados para que a tese de defesa de candidatura única seja aceita pelo tribunal dos outros pré-candidatos (Caubi Freitas, Diógenes Tenório Junior e Eduardo Oliveira).

A estratégia articulada por Arthur Lira e seu grupo político (leia-se todo exército do presidente da Câmara), ao perceber a fragilidade na pré-campanha de Eduardo, é que “só o Dr. Diógenes consegue a unidade e com isso o caminho da vitória estará asfaltado”. A aspas foi o que ouvi de um aliado. 

A estratégia tem todo sentido. O nome de Arthur, até então, é o de Eduardo Oliveira, ex-vereador do município, e que lhe deu votos nas eleições de 2018. O outro é Caubi Freitas, também ex-vereador e opositor dos Calheiros. Ele disputou as duas últimas eleições contra Olavo Neto, reeleito com 52,08% dos votos, em 2020. A diferença de apenas 543 votos ampliou o sentimento de fadiga administrativa do modelo calheirista ao longo dos últimos 27 anos no poder. O terceiro nome na disputa é o advogado Diógenes Tenório de Albuquerque Junior. Comenta-se no bastidor que Caubi não desiste da disputa por Eduardo ou Diógenes Junior, mas abre espaço para o debate, caso o Juiz obtenha apoio e se mostre viável. Com essa possibilidade abre-se o caminho para o entendimento, já que Eduardo não marchará sem Arthur e Diógenes Junior, pela natureza da vida, não enfrentaria o próprio pai.

Para Arthur, o juiz (que ele já chama de Joe Biden das Alagoas) decidirá o caso.

*Joe Biden, em referência aos presidente dos EUA, eleito aos 78 anos de idade.

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.