OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 27 de outubro de 2021

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
01/10/2021 às 21:11

NÓ CEGO: Bolsonaro muda regra eleitoral, "quebra as pernas dos partidos" e limita candidaturas proporcionais

Na sua opinião Bolsonaro está refém do Congresso Nacional? Na minha opinião ele está muito bem assessorado e pronto pro combate sem regra. Neste contexto ele entende melhor que a maioria.

Pois bem, nesta sexta-feira Bolsonaro sancionou projeto aprovado pelo Congresso Nacional que altera as regras para distribuição das chamadas "sobras eleitorais". Quebrou geral, nanicos e graúdos, em todo o país. Em Alagoas, por exemplo, cada partido só poderá lançar 10 candidatos a deputado federal, sendo obrigatório 3 mulheres na chapa, e 28 para a Assembleia Legislativa, também obrigatório que 9 mulheres estejam na disputa. Matemática simples: 100% + 1.

Os vetos de Bolsonaro ao projeto original são uma antiga reivindicação dos especialistas porque, com o novo formato, os poca-urnas estão sem chance de eleição. Quando houver sobra o candidato precisará ter atingido pelo menos 20% do quociente eleitoral. Para o partido que não atingir a totalidade dos votos só brigará pela vaga da sobra o partido que atingir 80% do quociente. Para federal, por exemplo, a estimativa é de 160 mil votos e 50 mil votos (estadual).  

Com o nó-cego de Bolsonaro todos os partidos terão que formular novas estratégias. 

Para derrubar o veto é preciso que o Congresso se reúna até o domingo. Será?

ZEROU O JOGO

ABAIXO A EDIÇÃO EXTRA DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO. 


Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2021 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.