OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 16 de setembro de 2019

Colunistas

Valderi Melo Valderi Melo
É jornalista profissional formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) desde 1994. Há mais de 24 anos escreve sobre a política alagoana.
10/06/2019 às 16:10

Acrimal divulga nota em que lamenta relação 'incestuosa' entre Moro e MPF

A diretoria da Acrimal (Associação dos Advogados Criminalistas de Alagoas) divulgou nota oficial em que lamenta a possível relação 'incestuosa' entre o Ministério Público Federal (MPF) e a Justiça Federal, no caso o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, em relação a investigações feitas na Operação Lava Jato, divulgadas no final de semana pelo site The Intercept Brasil.

O site alega que obteve o teor das conversas entre o ex-juiz e membros do MPF responsáveis pelas investigações da Lava Jato com uma fonte anônima. As conversas sugerem que Moro teria extrapolado suas funções, dado ajuda e passado orientações ao MPF no âmbito de ações da Lava Jato, que depois ele próprio iria julgar, como o processo que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à prisão.

Leia abaixo o teor da nota divulgada pela Acrimal

"Moro e Dallagnol

A Acrimal – Associação dos Advogados Criminalistas de Alagoaas em a público lamentar a relação incestuosa que, supostamente, ocorreu entre Ministério Público Federal e o Poder Judiciário no âmbito da operação lava jato. A garantia de um juiz imparcial é a pedra fundamental do direito de defesa, devendo as partes produzirem as provas sem a interferência ou orientação de nenhum magistrado. 

No caso divulgado pela grande mídia, o ex-juiz Sérgio Moro sugeriu ao procurador que trocasse a ordem de fases da operação Lava Jato, cobrou agilidade em novas operações, deu conselhos estratégicos e pistas informais de investigação, antecipou decisões, criticou e sugeriu recursos ao Ministério Público, chegando a criticar o Procurador da República Deltan Dallagnol como se ele fosse seu servo, comportamento este dissociado do sistema acusatório, que impõe desinteresse do julgador acerca do resultado do processo.

A Acrimal, vigilante como sempre, repudia qualquer violação a princípios que servem como suporte do Estado Democrático de Direito, como o da ampla defesa, contraditório e, principalmente, o da imparcialidade do magistrado".


Comentários

Natura
Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação)

© 2019 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.