OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 03 de março de 2024

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
29/08/2023 às 10:08

Na política o nunca é bem ali

No modelo político praticado no Brasil a expressão NUNCA é um INSULTO. Tudo, literalmente tudo, é possível. Na expressão máxima podemos verificar a aliança de Lula com Alckmin. Ou seja: em política a possibilidade do NUNCA vira realidade logo ali (QUANDO O OBJETIVO É VENCER).

Já na cartilha do modelo político adotado em Alagoas o NUNCA se assemelha a uma agressão de natureza grave. O NUNCA é tão possível que caminha lado a lado com a sombra de quem imagina NUNCA DIZER SIM. O melhor exemplo foi a COALIZÃO para o IMPONDERÁVEL, que garantiu a vitória de Paulo Dantas. 

Ou seja: o mecanismo da COALIZÃO pelo ÊXITO nas urnas faz com que os atalhos sejam a solução para caminhos difíceis até a vitória. Nada demais. Afinal, a livre escolha, livre arbítrio e o PRIMEIRO EU estão na primeira página do manual da Cartilha Política do Brasil (CPB).

Quando citei a palavra INSULTO, serve para chamar a atenção do outro. Já a COALIZÃO é o caminho mais curto para o ÊXITO, que geralmente atua com a COALIZÃO.

Vencer o sistema não é para amadores. Os vencedores das eleições de 2024 só têm duas opções:

- ou caminham pelo arriscado trajeto da ruptura

- ou desfilam pela estrada asfaltada com a COALIZÃO.

Duas premissas da política:

- Dar murro em ponta de faca e ir à guerra com soldado fraco é estar fadado ao insucesso.

- Ganho e risco são dois fatores diretamente proporcionais.

NA NOSSA POLÍTICA O SINÔNIMO DE NUNCA É: POSSÍVEL

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.