OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 22 de maio de 2024

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
29/01/2024 às 07:22

Maceió treme, mas pula e pulsa como nenhuma outra capital

Seis anos se passaram e não há convicção para a expulsão criminosa de milhares de moradores e comerciantes de cinco bairros, na capital mais cosmopolita do Brasil - pelo menos durante a folia de momo.

Há suspeitos de um crime perfeito, contra nossa capital, “mas crimes perfeitos não deixam suspeitos”. Deus sabe (só ele) que os suspeitos são, na verdade, muitos dos que silenciaram quando a terra tremeu, rachando ruas, casas e prédios no bairro Pinheiro. Naquele momento remeteram o fato ao solo da área que sofreu seu primeiro tremor de terra no dia 16 de junho de 1961, ganhando repercussão na imprensa nacional (mostro no texto seguinte).

O crime contra os moradores e comerciantes do Pinheiro, Mutange, Bebedouro, Bom Parto e Farol está longe de ser perfeito, mas muito próximo de ser constatado como hediondo e um bando de criminosos inescrupulosos vai pagar mais caro que os bilhões da Braskem, também culpada, mas num outro aspecto do crime.

Talvez a maioria das vítimas (moradores e comerciantes) não tenham tempo (de vida) para assistirem os verdadeiros culpados no caminho da cadeia. Enquanto não houver um veredicto real alguns dos culpados esperneiam como paladinos da moralidade e na defesa das vítimas. Faz parte de toda trama os culpados se passarem por mocinhos.

Bem... enquanto a justiça não chega (para os culpados), a Maceió que o Brasil e o mundo tem conhecimento é de uma cidade pujante, que se renova e que dá bons exemplos para o país. Não é a toa que a capital de todos nós seja a mais procurada, pelos turistas, para o carnaval deste ano. E olhe que o Salgadinho continua poluído e as línguas sujas poluem a imagem do nosso paraíso.

Ao conquistar o primeiro lugar entre as 10 cidades mais procuradas para a folia de 2024, à frente do Rio de Janeiro e Salvador, Maceió revela ser um paraíso que precisa da força dos bons políticos, de um judiciário que seja justo e de empresários do setor turístico que saiam do armário para que possam manter e expandir seus negócios. Não é a toa que portugueses e italianos estão a todo vapor nos investimentos.

Se Maceió não estivesse no caminho certo (com os esforços da Prefeitura, do Estado e do trade turístico), alguns culpados estariam no topo, mas como protagonistas do caos.

Maceió treme, mas vai pular e pulsar como nenhuma outra capital (Graças a Deus), ainda que satanás tente se infiltrar na folia

MORAL DA HISTÓRIA: Turismo em alta confirma zero de impacto da Braskem no macro contexto de desenvolvimento local.




 

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.