OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 24 de abril de 2024

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
03/04/2024 às 11:04

Dois fatos históricos que não vão acontecer em 2024...

Não sou da engenharia, muito menos da adivinhação, mas quem aposta que Maceió afundará por conta da Braskem, ou que as obras das barragens de contenção de enchentes comecem até 6 de outubro, na Zona da Mata, para evitar mais uma tragédia anunciada de São José da Laje a Rio Largo?

A política e suas pegadinhas. Os políticos e seus alardes. Já que a colapsada mina 18, que provocaria um estrago do tamanho de dois Maracanãs, não matou nem um sururu, que as águas do inverno também não matem mais vítimas do descaso dos senhores das urnas.

A única arma que o povo tem contra um político traidor é seu gatilho na hora de confirmar o voto.

Anunciaram que Maceió afundaria. Que o “maior crime ambiental do planeta” transformaria a capital mais visitada do país num campo minado. Também anunciaram, com muito menos ênfase (e faz parte do jogo sujo) que as barragens estariam no PAC do governo federal e que ainda neste ano pelo menos a terraplanagem estaria em ação.

Dois pesos e duas medidas (diferentes). A boa é que Maceió, do caos anunciado, avança. A péssima é que vidas na Zona da Mata seguem na mira da catástrofe.

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.