OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 18 de junho de 2024

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
21/05/2024 às 10:11

Arthur precisa, urgente, da consultoria do Lira

Absoluto em Brasília, Lira precisa agir em Alagoas (Foto: Zeca Ribeiro/Agência Câmara) Absoluto em Brasília, Lira precisa agir em Alagoas (Foto: Zeca Ribeiro/Agência Câmara)

Presidente do PP de Alagoas, líder da maior e mais poderosa organização pluripartidária do país (o Centrão), presidente da Câmara dos Deputados e uma espécie de primeiro ministro do país, em dois governos antagônicos (Bolsonaro e Lula). Este é Arthur Lira, que a mídia nacional se refere como Lira. Talvez pelo que ouvem os colegas da imprensa, a turma de Brasília também já percebeu que Arthur e Lira são dois lados da mesma moeda que não valem a mesma coisa (politicamente, é claro).

O Lira, de Brasília, é soberano. Articula e direciona a pauta como bem entende. E o Lira entende, disso não há dúvida. Já o Arthur, maior entregador de tratores, retroescavadeiras e afins da história política de Alagoas, por aqui segue politicamente manco, muito distante do outro lado da moeda (o Lira de Brasília).

Você percebe a ironia da escrita, mas ela tem um sentido. Como pode um político vencedor, líder nacional, com a experiência de conduzir o rebanho mais feroz da política brasileira, não conseguir administrar a indicação de um nome para ser vice na chapa do aliado JHC, visivelmente favorito à reeleição. Há um compromisso no meio desse enredo mal ensaiado e há, também, rejeição ao que ambos desejam. (Bicudos não se beijam)

Se Arthur defende Jó Pereira, não deveria ter desgaste dentro do próprio partido ou com os aliados mais próximos, a exemplo de João Catunda e Davi Filho. Há uma crise no PP de Maceió e o culpado é Arthur, que não consegue fazer o óbvio. No interior a situação também já foge da normalidade. É uma lição de casa que Lira precisa pressionar o Arthur. Os dois lados devem ter o mesmo valor. Do contrário, Arthur será o fiador de mais um mandato de Renan.

Em tempo: O Mestre está calado. Isso não é bom (para a oposição). Ele sabe que não consegue ganhar em Maceió, mas quer que o adversário ganhe errando.

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.