OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 03 de agosto de 2021

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
16/06/2021 às 09:06

Viaduto “Pagão” inundou pela culpa do povo. O controle está em suas mãos... parte 2

Excesso de lixo entupiu galerias do viaduto da PRF Excesso de lixo entupiu galerias do viaduto da PRF

A conta sempre chega. Pode esperar.


A aspas no pagão é porque o viaduto não tem dono/pai. Aliás, nem nome tem, mesmo tendo sido inaugurado pelo presidente da República, tendo o prefeito de Maceió, JHC, e o presidente da Câmara do Deputados, Arthur Lira, como testemunhas do nascimento.

É importante tocar neste assunto porque quem o batizar será o pai da tão esperada obra, que deu novo visuall à cidade, melhorou o tráfego na região e até já inundou, pagando o maior mico.

Veja como tem gente maldosa neste mundo de meu Deus. O viaduto é uma obra que ficou pronta duas décadas depois de ter sido anunciada. Por birra política o Governo Federal, que financiou o projeto, quer tirar do Governo de Alagoas, que executou a obra, o cuidado com a estrutura. O prefeito JHC já disse que aceita tomar de conta.

Na terça-feira Maceió recebeu 100mm de chuva, o equivalente a 25% do previsto para todo mês de junho. A capital dos alagoanos, sabemos nós, é o paraíso das águas, mas só até chover, porque daí mais parece um pântano, tamanho o volume de áreas alagadas, ruas e avenidas intransitáveis e toneladas de lixo que também mudam a fotografia de praças e da orla mais bonita do Brasil.

Vamos aos questionamentos. De quem é a culpa pelo viaduto ainda não ter nome? Quem deve tomar conta daquele patrimônio, que é nosso? Por que ruas, avenidas e córregos são inundados por lixo? E por que o viaduto “da PRF” ficou intransitável no primeiro teste de chuva?

Resposta única e exata. A culpa é nossa, porque o controle está em nossas mãos. É a partir de nós que a política caminha como quer, nunca como deve. Somos habituados a reclamar de tudo, mas só blá blá blá.

Choveu e o viaduto inundou... vídeos pelos grupos de Whatsapp metendo pau naquele importante monumento (que não fala, não ouve e está à espera de um nome e de quem cuide dele). Até deputados entraram na “onda” com chacota. Na mesma terça-feira trágica vem a notícia de que o viaduto inundou pelo acúmulo de lixo nas galerias, jogado pelo abençoado povo de meu Deus.

E aí... de quem é culpa pelas galerias sujas? É de quem suja ou de quem não limpa com frequência? Quem está no controle das nossas vidas? (Por esse descaminho aí não diga que é Deus)

Ah... desde janeiro, mais de 98 mil toneladas de resíduos (lixo para ser mais direto) foram retirados pela Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes), de 180 pontos na capital. Só em abril a Sudes tirou mil toneladas de lixo na foz do Riacho Salgadinho. 

Isso porque – e não é de agora – a Prefeitura de Maceió disponibiliza 29 pontos para o descarte correto de resíduo e 5 Ecopontos que recebem restos de poda de árvore, materiais inservíveis e resíduos da construção civil (até 1m³)

O controle nas nossas mãos é um perigo que a política alimenta com prazer.

Uma nota de serviço: Ligue para o 0800 082 2600 ou WhatsApp 98802-4834, para que a prefeitura recolha resíduos volumosos em sua casa, como sofás, geladeiras, colchões, vasos sanitários e tudo o que considerar material inservível.


Pense nisso
.

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2021 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.