OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 03 de março de 2024

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
26/04/2017 às 09:41

Em meio à crise nacional Alagoas 'ganhará' uma nova cidade

Coqueiro Seco é um paraíso, finalmente reconhecido Coqueiro Seco é um paraíso, finalmente reconhecido

Você pode até não conhecer Coqueiro Seco, mas certamente já ouviu falar que existe. Se conhece, pode dizer aos amigos sobre as belezas, a cultura e gastronomia do lugar, margeado pela lagoa Mundaú. É dela que centenas de pescadores tiram o sustento, sendo o sururu o carro chefe.

Coqueiro Seco faz divisa com Maceió. A pequena cidade, com cerca de 5.500 habitantes, não tem feira livre, mercado público e posto de combustíveis, entre tantas necessidades básicas. Devido ao descaso de gestões desastrosas e na contramão do desenvolvimento Coqueiro Seco, mesmo fazendo divisa com a capital, nem acesso pavimentado tem. No inverno o acesso pela ponte do Broma é um problema. São apenas 8km até a cidade. Nesta época o trajeto mais aconselhável é por Santa Luzia do Norte.

Até janeiro deste ano médico 24 horas só uma vez por semana – e quando ia trabalhar. A educação, na rede municipal, constava que havia escola em tempo integral, mas só no nome. A bela orla, os artesãos e grupos folclóricos também foram deixados de lado.

Eis que, prestes a completar 55 anos de fundação (15 de novembro), Coqueiro Seco vive a expectativa real de se transformar na grande vitrine para investidores, como o Grupo Alphaville, líder nacional em empreendimentos planejados e núcleos urbanos. Com 40 anos de história e presente em 22 estados, o Alphaville não só representará um novo marco, como fará surgir um novo município, com infraestrutura e urbanismo, agregados ao conceito de consciência ambiental.

O Alphaville será uma cidade dentro da cidade de Coqueiro Seco, com ruas pavimentadas, esgotamento sanitário e, claro, o mais importante para as famílias coqueirenses, a maioria humilde, a oportunidade de geração de emprego em renda, para o comércio local.

A equipe de gestão da prefeita Decele Damaso já manteve reuniões com diretores do grupo e o anúncio de como será e o que representará o empreendimento sairá em breve.

Por outro lado obtive a informação de que o Governo do Estado já está em fase de estudos para a pavimentação de todo acesso à cidade, desde a ponte do Broma, passando pelo belo povoado Cadoz, até a cidade. Dos 8km de estrada, cerca de 5km estão em fase de conclusão de calçamento. A obra, que recebeu recursos federais, estava parada e foi retomada na gestão atual. O secretário Estadual de Transportes e Desenvolvimento Urbano, Mozart Amaral confirmou os estudos e disse que apresentará ao governador Renan Filho ainda no primeiro semestre. “Será mais uma obra importante para o governo, mas muito mais importante para a população de Coqueiro Seco”.

Mozart também garantiu que o acesso contemplará todo trajeto até Santa Luzia do Norte, hoje no paralelepípedo. E confirmou que o projeto das pontes sobre a Lagoa Mundaú também sairá do papel, ainda este ano. “Coqueiro Seco terá um outro perfil a partir dos investimentos que estão projetados para curto e médio prazos. A prefeita Decele Damaso tem sido presente e parceira, não só do Governo do Estado, como da iniciativa privada. É uma gestora que certamente ficará na história como uma revolucionária”, destacou Mozart.

A outra novidade para os coqueirenses é que o projeto da orla lagunar, que havia sido esquecido pelo ex-prefeito Tadeu Fragoso foi recuperado e os investimentos estão garantidos. A ordem de serviço será dada ainda no primeiro semestre deste ano.

Coqueiro Seco segue, assim como o Estado de Alagoas, na contramão da crise. São bons exemplos que precisam ser disseminados na gestão pública para que a população saiba separar o joio do trigo.

 Ou seja:

       - Para quem, em 55 anos, não tinha acesso pavimentado, terá logo três.

    - Para a maioria dos moradores, que dependem da pesca ou do serviço público, a chegada do Alphaville representará oportunidades de trabalho e incremento no comércio local.

    - A gestão atual recuperou o projeto da orla lagunar, esquecido por mais de oito anos e a cidade terá um novo e belo cartão postal, para nativos e turistas.

    - Na saúde pública médico agora é 24 horas, todos os dias da semana.

    São conquistas a curto prazo que merecem o reconhecimento.  Que nasça uma nova Coqueiro Seco.

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.