OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 13 de julho de 2024

Colunistas

Wadson Regis Wadson Regis
Jornalista profissional, formado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), é editor-geral do AL1.
17/06/2024 às 08:38

MDB quer polarizar e usar estratégia antiga (e eficaz) para vencer JHC

Lula e Bolsonaro não cantam no terreiro dos grandes políticos do Brasil (Maceió/Alagoas). O eleitorado da capital pune.

O baiano Fabiano Ribeiro vem para sua terceira eleição em Maceió. É dele o carimbo da transformação do inexpressivo Davi Filho num “quase“ fenômeno eleitoral e da surpreendente vitória do então desconhecido Paulo Dantas, no primeiro turno, em Maceió, em 2022. O cliente da vez é Rafael Brito, que começa a disputa bem mais conhecido que Davi (em 2020) e Paulo (em 2022). Ou seja: Rafael não inicia a corrida como um rafamé eleitoral, mas entrará no jogo com o carimbo 15 (marca registrada – e renegada - dos Calheiros em Maceió). São pesos e medidas que o experiente marqueteiro precisará dosar.

A primeira jogada de marketing pró-Rafael foi interessante. Ainda que bastante batida em eleições, a polarização geralmente cria dificuldades para quem vai à reeleição. E a primeira peça deu o tom sombrio da luta do bem contra o mal. Foi assim que, em 2006, Téo Vilela venceu João Lyra.

Agora, Rafael Brito lança a discórdia entre verdade e mentira. Pelo tom, conhecendo relativamente JHC, o revide será no mesmo tom. A caixa de munição está pronta e Rafael sabe que não sairá ileso.    

A polarização política de JHC x MDB (Renan’s) + o paulista Igor Paulin x baiano Fabiano Ribeiro vai mostrar que os tios não são tão bonzinhos assim. O pior é que o povo gosta de ver esse tipo de... estratégia.

Ah!!! Entende porque o MDB quer e precisa tirar o PT da disputa?

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.