OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 20 de maio de 2022

Colunistas

Roberto Boroni Roberto Boroni
Jornalista de formação e que tem a crônica esportiva no coração. Ex-assessor de comunicação do CRB, Vivi de perto a Série B para saber que ela pode ser tudo, menos fácil!
02/07/2021 às 10:14

Novo raio-x da Série B. Perde e ganha segue sendo o prato principal

A oitava rodada chegou ao final e nada de grandes surpresas, temos times em boas fases e a maioria vai sofrer com o perde e ganha que norteia a Série B. Pelo menos, neste meio de semana a arbitragem não foi tenebrosa como vinha sendo. Vamos para mais um raio-x!

Náutico – Se você perguntasse a qualquer torcedor do Náutico se ele topava três empates seguidos, logos após enfileiras cinco vitórias, duvido encontrar um que não topasse. Então, esta série de empates não deve ser considerada como algo muito preocupante, pois o bom futebol segue acompanhando o Timbú. O que pode preocupar é não poder contar mais com o Erick e, também, ver outros titulares importantes irem embora, já que tem muita gente jogando bem no Náutico. Voltar a vencer é importante, mas segurar essa equipe é um fator primordial.

Coritiba – Se o futebol apresentado não é empolgante, o principal é que o Coxa vem cimentando bem o caminho para o acesso. Muita solidez defensiva para conseguir vencer duas seguidas fora de casa, resultados que trazem moral e propiciam a chance do time pontuar seguidamente e abrir uma gordura no bloco da frente. Joga contra o Remo em casa e caso consiga mais uma vitória, vai embalado para uma parte da tabela onde vai enfrentar Cruzeiro e Vasco. Duelos gigantes e que nada melhor do que chegar com confiança.

Goiás – O Goiás venceu o Vasco e segue firme em sua caminhada para voltar a Série A. Como já imaginávamos, os reforços contratados elevaram o nível da equipe e dentro de casa vem sendo letal. Ainda é cedo, mas o Goiás é um dos times que já me parecem ter um sistema muito bem definido e não corre errado. Agora é buscar elevar o rendimento fora de casa e, se conseguir isso, vai ser difícil tirar o Goiás do bloco da frente. Vem aí agora uma mini Copa do Nordeste para o Esmeraldino, que vai encarar Vitória (fora), Náutico (casa) e CSA (fora).

Sampaio Corrêa – Esse Sampaio Corrêa é danado. Felipe Surian está de parabéns, soube buscar jogadores que entendem bem o seu sistema de jogo e o fez levar a Portuguesa nas semifinais do Carioca. Eu ainda vejo, por enquanto, que na frente o clube não possui a qualidade de um Caio Dantas ou Marcinho, o que não vem sendo muito relevante, já que a força desse Sampaio está na defesa. Dois gols tomados em oito rodadas, números fabulosos e que vem consolidando o clube no G-4. Pega o Londrina em casa para consolidar sua posição e ir com tudo para o duelo contra o Vasco em São Januário.

Brusque – Vitória fundamental contra o Brasil de Pelotas e que recolocou o time no bloco da frente. Um resultado que evitou o time jogar fora o bom início de competição que teve e reforça o quanto será difícil encarar o Brusque em seus domínios. Precisamos falar do baita jogador que é o atacante Edu, dono de características ideias para uma Série B, pois é um homem de área com muita mobilidade e faro de gol.

Operário – O Fantasma não aproveitou a oportunidade de jogar duas partidas em casa e acabou fazendo apenas um ponto em seis. Isto quebrou o bom momento que o time vinha e pode indicar que o time titular já merece passar por alguma reformulação. Um elenco que tem Paulo Sérgio e Pimpão no banco, tem de onde tirar e reencontrar o caminho das vitórias. Vem ai o líder Náutico em Recife, um confronto que o Operário poderia chegar com outro tamanho. Duelo complicado, mas que pode ser o ideal para recuperar a confiança.

Botafogo – Me perdoem o trocadilho, mas que achado foi o Chay. Enquanto o Rafael Moura não desencanta, vem sendo o Chay que está garantindo pontos importantes para o Botafogo. O desempenho está longe do ideal, mas para que o Chamusca tenha tempo de encaixar os novos reforços, é fundamental que o time vença jogos, mesmo sem jogar bem. Vem aí dois duelos fora de casa contra Avaí e CRB, jogos que vão prova o poder do Botafogo em se manter no bloco da frente e seguir ir ajeitando o carro em movimento.

CRB - Uma vitória nos últimos cinco jogos e o Clássico das Multidões pela frente. Com esse panorama o Galo chega para o jogo contra o CSA, sabendo que é fundamental ao menos pontuar, já que os últimos resultados fizeram o clube estagnar na tabela. É bem verdade que a tabela para o CRB está sendo bem pesada, o que faz o início ser bem aceitável. O tive está em busca de um melhor encaixe, a defesa melhorou e o ataque caiu um pouco de rendimento. Uma vitória sobre o maior rival vale mais do que três pontos e o recorte do momento mostra que o CRB precisa voltar a ser mais contundente no ataque, veremos como Alan Aal vai montar o sistema ofensivo sem, ao que tudo indica, sem Alisson Farias. Uma ausência que incomoda, mas que pode ser uma oportunidade de planejar algo que o CSA não esteja esperando.

Vasco – O Vasco ganha um jogo, aí vem o torcedor “se jogar assim, ninguém nos segura. O Vasco perde um jogo, aí vem o torcedor “time medíocre e sem vontade”. Em geral, o torcedor brasileiro pensa assim, mas o Vasco vive um momento em sua história, que essa bipolaridade é multiplicada por dez. Dá para compreender um pouco, porque jogar a Série B de novo para o Vascaíno é torturante, e para piorar dessa vez o acesso não é uma certeza. Uma pressão gigante e que vemos claramente no descontrole do time em alguns jogos, pilhado demais e longe de viver um ambiente com paz. Tem dois jogos seguidos em casa, qualquer coisa que não seja seis pontos não será aceitável para o torcedor.

Avaí – E o Avaí parece ter começado a reação na tabela que sempre norteia os caminhos do time na Série B. Claudinei Oliveira vem buscando dar o mesmo padrão ao time nos jogos dentro e fora de casa e nada melhor que vencer em sequencia para alcançar esse objetivo. São três vitorias nos últimos quatro jogos e o time já começa a olhar com gosto para parte de cima da tabela. Vem aí um jogão contra o Botafogo, jogo que vale seis pontos e pode consolidar de ver o Avaí como um dos sérios candidatos ao acesso.

Guarani – A maior missão de Daniel Paulista no momento é fazer o ataque bugrino ter a mesma eficiência e poder nos jogos dentro do Brinco de Ouro. As melhores atuações do Guarani, tirando o Derby, foram longe de Campinas e se conseguir jogar em casa como joga fora, ai o Guarani já pode sonhar com algo maior. Meus amigos que jogador é o Régis, com ele inspirado é quase impossível sair sem que o time vá bem no ataque. Jogão contra o Brusque na próxima rodada, com três pontos separando os times na tabela.

Vila Nova –Uma vitória fora de casa contra o Operário que foi importante para o Vila começar a mudar sua história na competição. Se o desempenho ainda não foi o esperado, não era o mais relevante neste momento, o fundamental era ganhar e buscar confiança. Time segue contratando atacantes, mas ainda nada que anime ao ponto de pensar no Vila como candidato ao acesso. Enquanto o poder ofensivo da equipe não melhorar, que siga pontuando para tentar achar a melhor formação, porque só com defesa sólida não vai longe

CSA – Enquanto os erros individuais não forem estancados, vai ficar complicado do CSA conseguir subir posições na tabela. O jogo contra a Ponte não foi o primeiro que o time “entrega” gols para o adversário em falhas na saída de bola. O elenco tem qualidade, mas os momentos turbulentos vividos fora das quatro linhas não ajudam o time a se recuperar de vez e os altos e baixos estão norteando os caminhos do CSA até o momento. Vem o Clássico, jogo que pode recolocar tudo nos trilhos de novo ou descarrilhar de vez o trem azulino. Norberto fará muita falta, Gabriel será uma ausência sentida no sábado, em compensação Renato Cajá vem mostrando o quanto pode agregar qualidade a equipe. Será uma decisão, ganhar será importantíssimo, mas não perder será ainda mais fundamental.

Cruzeiro – Futebol e suas variáveis que nos enlouquecem e, também, encantam. É no mínimo curioso ver um time do Mozart tendo na bola parada o seu ponto forte. Nada contra isso, gol é gol, mas vai precisar mais do que isso para fazer o que dele se espera no Cruzeiro. Verdade que o tempo de trabalho é pequeno e o time pode em breve por em prática a transição ofensiva que ele tanto gosta. Bons reforços chegaram e o Cruzeiro agora precisa contar com um pouco de sorte para tomar menos gols e conseguir vencer com regularidade. Pressão é imensa e analises e evoluções táticas vão cair no esquecimento se a Raposa não volta a vencer.

Confiança – Apesar da derrota em casa para o Coritiba, o Confiança me passou a impressão de evolução no time em relação aos primeiros jogos da equipe. O empate fora contra o Operário mostrou solidez que a equipe pode ter nos jogos fora de casa. A contratação de Hernane Brocador dará ao Confiança o que eu sinto mais falta, poder de definição. Neto Berola vem jogando bem, mas poderá ser ainda mais perigoso com um centroavante ao lado que chame a atenção das defesas. Se o Hernane Brocar, pode estar aí o ponto de virada do Dragão na Série B.

Londrina – Mais um que está tendo muita dificuldade nos jogos dentro de casa. Está claro que o Londrina está se sentindo mais confortável nos jogos como visitante. Por mais que tenha a bola, o Londrina não vem conseguindo transformar essa posse em dano ao adversário. Sair atrás do placar nunca é bom para ninguém, mas no caso do LEC o time vem sofrendo muito para correr atrás da igualdade.  Apesar das derrotas, é preciso destacar o lateral-esquerdo Luiz Henrique, para mim um dos grandes destaques da B nesse início. Boa notícia para essa semana, o Londrina joga fora de casa.

Remo – Parecia irreversível a situação do técnico Bonamigo depois de mais um mau resultado dentro de casa. Felipe Conceição é um grande nome, sabe ajeitar equipes e pode tirar o Remo do marasmo. Vejo como imperativo que cheguem reforços ao Leão, porque o atual elenco não tem tanto as características que o Felipe Conceição gosta. Uma rearrumação de rota que poderia ter sido evitada com uma melhor qualificação no elenco antes da B começar.

Vitória – Vaga na Copa do Brasil já não causa mais efeito que traga paciência ao torcedor do Vitória. Time de novo residindo na parte de baixo da tabela e isso era tudo que a torcida não queria. Cinco gols em oito jogos mostram aonde está o principal problema e vai ser difícil reagir sem poder de fogo no ataque. Ramon vai ter que buscar essa melhora em uma rodada que terá pela frente o Goiás, um time bem mais encaixado no momento. Não existem no momento boas notícias para o torcedor, fase é complicada e todos no clube terão que se fechar e trabalhar como nunca.

Brasil de Pelotas – Uma vitória em oito rodadas é algo que o torcedor do Xavante não estava acostumado na Série B. São muitos revés por um golzinho de diferença e que mostram a pouca força do time no ataque, porque se defende, se defende e quando sai atrás do placar, corre muito e não consegue ao menos empatar. Time vai encarar agora o Cruzeiro em Pelotas e não existe nada mais que não seja vencer, senão o Brasil vai precisar rever tudo e começar do zero, senão vai ficar ruim de correr atrás do prejuízo.

Ponte Preta – Finalmente veio a primeira vitória e que deve trazer a tranquilidade que a Ponte precisa. Um time que tem Camilo, Moisés e Rodrigão é muito forte e me parecia ser questão de tempo para a Ponte embalar e escalar posições na tabela. Diferente de outras equipes, claramente possui um elenco que tem de onde tirar para jogar bem e ser mais um forte candidato na luta pelo acesso. 

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2022 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.