OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 08 de dezembro de 2021

Colunistas

Roberto Boroni Roberto Boroni
Jornalista de formação e que tem a crônica esportiva no coração. Ex-assessor de comunicação do CRB, Vivi de perto a Série B para saber que ela pode ser tudo, menos fácil!
15/10/2021 às 07:52

No TCC do Acesso, CRB e CSA precisam esquecer Matemática e História. Foco na Física, Ciência e Religião, muita Religião

A Série B vai entrando em sua reta final e é fantástico poder ver os times alagoanos vivos na briga pelo acesso. CRB e CSA são clubes distintos, que se portam e trabalham de formas diferentes, mas que precisam cuidar por igual dos detalhes que podem levar ao sucesso. Para os dois, chegou a hora do exame final, o “TCC do Acesso”, onde vão ter que focar no que é importante.

É hora de esquecer a matemática. CRB e CSA dependem apenas dos seus esforços para lograr o acesso. O Galo tem três pontos a mais que o Azulão, só que o clube Marujo vive um momento de maior confiança e com um sistema de jogo muito encaixado. Já o Regatas, precisa encontrar soluções para dominar os jogos em casa e voltar a vencer em Maceió, o que convenhamos, possui comissão técnica e um grupo de atletas capazes de fazer isso.

Ficar fazendo contas pode tirar o foco do mais importante, que é o próximo jogo. Sabemos que tem um número mágico, que garante o acesso sem dúvidas. Mas, como a Série B está muito equilibrada, então o importante é ganhar o próximo jogo e seguir no bloco da frente. Deixem para fazer contas faltando três rodadas, porque aí a realidade da pontuação será incontestável para saber o que cada um precisará fazer e quantos pontos serão necessários conquistar.

Esqueçam também a história. Nesta reta final, nada de retrospecto vai entrar em campo.  Não tem jogo fácil, e podem ter certeza de que pode ser mais difícil encarar uma equipe que briga pelo rebaixamento, do que uma que está ainda com chances de acesso. O que aconteceu no primeiro turno não importa, será outro jogo e além de enfrentar times que estarão desesperados, ainda terão aqueles que não brigam por mais nada, mas estão “incentivados” a tirar pontos dos seus rivais.

Além de melhor o nível de suas atuações, CSA e CRB precisam, como nunca, usar a ciência do esporte e trabalhar no mais alto nível para prevenir lesões e saber com quem pode contar em cada partida. Certos desfalques podem fazer muita diferença entre a vitória e a derrota nas partidas.

Trabalhar o lado mental, para aguentar a pressão de ganhar, ganhar de novo e novamente. CRB e CSA possuem dois times titularem bem estabelecidos e alguns titulares são peças chaves na performance da equipe. Por isto, cuidar bem dos cartões que tomam e evitar desfalques por suspensão, também será importante nesta batalha por cada ponto conquistado.

Fundamental ter os times nas melhores condições físicas possíveis, porque cada jogo será uma batalha e desgastante nos quesitos físicos e mentais. Não dá para ter ninguém a 70%, chegou a hora de cada um dar o máximo que puder dar.

E o mais importante para cada um de nós em nossas vidas, seja lá qual for sua profissão, ter muita fé. Futebol não é exatamente um jogo de soma dois, em muitos casos se faz tudo certinho e segue todos os quesitos acima, e a bola bate na trave e sai.

É hora de regatianos e azulinos se agarrarem na fé que acreditam e começar a orar muito, porque essa reta final de Série B promete muitas emoções. Em jogos tão equilibrados e decididos nos detalhes, ter fé e buscar energias positivas nunca é demais, independente da sua crença, reze muito para que a sua bola bata na trave e entre.

Agora cada detalhe conta, os pequenos erros podem custar caro e fazer a banca examinadora reprovar o seu trabalho. Futebol é realmente uma loucura, mesmo que você faça tudo certo na parte técnica, tática e cientifica, não é incomum ver o gol não sair nunca e, por isso, ter fé no que você acredita é tão importante, é o momento onde jogador e torcedor podem jogar juntos, nesta troca de energia que transforma o ambiente e faz a bola encontrar o caminho do gol.

Três pontos separam os nossos gigantes, que têm tabelas distintas e que podem, quem sabe os dois, colocarem o futebol alagoano na elite do futebol brasileiro.

Que os clubes trabalhem a parte cientifica, que do lado de fora seguiremos com fé!

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2021 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.