OPINIÃO E INFORMAÇÃO Facebook Twitter
Maceió/Al, 23 de junho de 2024

Colunistas

Roberto Lopes Roberto Lopes
Formado em Letras, Jornalismo com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Advogado
09/03/2023 às 16:52

Mudança da Codevasf de Penedo para Maceió vai custar mais de R$ 167 mil aos cofres públicos

Despesas com mudança de sede não possuem previsão de receita discricionária (Foto: Divulgação) Despesas com mudança de sede não possuem previsão de receita discricionária (Foto: Divulgação)

O Conselho de Administração da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba está prestes a voltar a apreciar a proposta da transferência da sede da 5ª Superintendência Regional da cidade de Penedo, onde a estatal dispõe de um prédio próprio, amplo e equipado, para um imóvel alugado e compartilhado na capital alagoana.

Caso a mudança seja aprovada, isso causará prejuízos ao financiamento de projetos em cidades da região, como Igreja Nova, Porto Real do Colégio e Penedo, por exemplo, e também impactará drasticamente o comércio local, já que seriam R$ 2 milhões em perdas, todos os meses, apenas com o salário dos servidores.

Além disso, a ida da Codevasf de Penedo para Maceió também causará prejuízo aos cofres públicos, já que a empresa deixará seu prédio próprio para funcionar em um imóvel alugado, devendo desembolar para isso a quantia estimada hoje em R$ 167.456,16 (sento e sessenta e sete mil, quatrocentos e cinquenta e seis reais e dezesseis centavos), só com despesas básicas. O pior e mais grave disso tudo é que essas despesas não possuem previsão de receita discricionária.

De acordo com o plano de trabalho que nossa redação teve acesso, caso a sede da 5ª Superintendência Regional da Codevasf mude para Maceió, a empresa vai passar a funcionar em um prédio situado na Rua Aristeu de Andrade, no bairro do Farol, local já ocupado pelos Laboratórios Integrados de Ciências do Mar e Naturais (Labmar), devendo por esse motivo os custos serem compartilhados.

Ainda segundo o plano de trabalho, o custeio compartilhado das despesas envolve serviços básicos como vigilância, no valor anual de R$ 115.256,16 (cento e quinze mil, duzentos e cinquentas e seis reais e dezesseis centavos); água e esgoto, a partir de R$ 6.600,00 (seis mil e seiscentos reais) por ano; e R$ 45.600 (quarenta e cinco mil e seiscentos reais) com energia elétrica, quantia mínima que deve ser pago exclusivamente pela Codevasf. Na prática, esses valores devem mais que dobrar, dependendo da utilização de tais serviços.

Para tentar impedir a saída da Codevasf de Penedo, a sociedade civil organizada, representada por prefeitos da região, sindicatos, associações e cooperativas, entre outras entidades, enviou uma carta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com cópia ao presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco; ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lyra; governador Paulo Dantas e presidente da Codevasf, Marcelo Andrade, mostrando a importância da empresa para o Baixo São Francisco e os prejuízos que sua saída da região causariam, sem retorno oficial até o momento.

Clique AQUI  e confira a carta, na íntegra!







Fonte: Aquiacontece

Comentários

Siga o AL1 nas redes sociais Facebook Twitter

(82) 996302401 (Redação) - Comercial: [email protected]

© 2024 Portal AL1 - Todos os direitos reservados.